quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 39

Comente Aqui


Pergunta 85: O que Deus exige de nós para que possamos escapar à sua ira e maldição em que incorremos pelo pecado?

Resposta: Para escaparmos à ira e maldição de Deus, em que incorremos pelo pecado, Deus exige de nós fé em Jesus Cristo e arrependimento para a vida, com o uso diligente de todos os meios exteriores pelos quais Cristo nos comunica as bênçãos da redenção.1

Referências:

1 “testificando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo”(At 20.21); “Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum” (2Pe 1.10); “como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram” (Hb 2.3); “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes” (1Tm 4.16).

Pergunta 86: O que é fé em Jesus Cristo?

Resposta: Fé em Jesus Cristo é uma graça salvadora,1 pela qual o recebemos2 e confiamos só nele para a salvação,3 como ele nos é oferecido no evangelho.4

Referências:

1 “Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (At 16.31); “Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma” (Hb 10.39).

2 “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (Jo 1.12).

3 “e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé” (Fp 3.9).

4 “O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida” (Ap 22.17).

Pergunta 87: O que é arrependimento para a vida?

Resposta: Arrependimento para a vida é uma graça salvadora,1 pela qual o pecador, tendo um verdadeiro sentimento de seu pecado2 e percepção da misericórdia de Deus em Cristo,3 se enche de tristeza e de horror pelos seus pecados, abandona-os e volta-se para Deus,4 inteiramente resolvido a prestar-lhe nova obediência.5

Referências:

1 “Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte” (2Co 7.10).

2 “Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?” (At 2.37).

3 “para dar ao seu povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados, graças à entranhável misericórdia de nosso Deus, pela qual nos visitará o sol nascente das alturas, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz” (Lc 1.77-79).

4 “Bem ouvi que Efraim se queixava, dizendo: Castigaste-me, e fui castigado como novilho ainda não domado; converte-me, e serei convertido, porque tu és o SENHOR, meu Deus. Na verdade, depois que me converti, arrependi-me; depois que fui instruído, bati no peito; fiquei envergonhado, confuso, porque levei o opróbrio da minha mocidade” (Jr 31.18,19).

5 “e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça” (Rm 6.18).

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 38

Comente Aqui


Pergunta 82: Será alguém capaz de guardar perfeitamente os mandamentos de Deus?

Resposta: Nenhum mero homem, desde a queda de Adão, é capaz, nesta vida, de guardar perfeitamente os mandamentos de Deus;1 mas diariamente os quebra por pensamentos, palavras e obras.2

Referências:

1 “Que se conclui? Temos nós qualquer vantagem? Não, de forma nenhuma; pois já temos demonstrado que todos, tanto judeus como gregos, estão debaixo do pecado; como está escrito: Não há justo, nem um sequer” (Rm 3.9,10).

2 “Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus” (Rm 3.19); “Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça no falar, é perfeito varão, capaz de refrear também todo o corpo” (Tg 3.2).

Pergunta 83: São igualmente odiosas todas as transgressões da lei?

Resposta: Alguns pecados, em si mesmos, e em razão de circunstâncias agravantes, são mais odiosos à vista de Deus do que outros.1

Referências:

1 “Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão” (Sl 19.13); “Digo-vos, porém, que menos rigor haverá, no Dia do Juízo, para com a terra de Sodoma do que para contigo” (Mt 11.24); “Todo aquele que proferir uma palavra contra o Filho do Homem, isso lhe será perdoado; mas, para o que blasfemar contra o Espírito Santo, não haverá perdão” (Lc 12.10); “Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram” (Hb 2.2,3).

Pergunta 84: O que merece cada pecado?

Resposta: Cada pecado merece a ira e a maldição de Deus, tanto nesta vida como na vindoura.1

Referências:

1 “Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las” (Gl 3.10); “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos” (Tg 2.10); “Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mt 25.41).

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 37

Comente Aqui


Pergunta 79: Qual é o décimo mandamento?

Resposta: O décimo mandamento é: “Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo”.1

Referências:

1 Ex 20.17.

Pergunta 80: O que o décimo mandamento exige?

Resposta: O décimo mandamento exige pleno contentamento com a nossa condição,1 bem como disposição para com o nosso próximo e tudo o que lhe pertence.2

Referências:

1 “Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hb 13.5); “De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores” (1Tm 6.6-10).

2 “Não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR” (Lv 19.18); “O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade” (1Co 13.4-6).

Pergunta 81: O que o décimo mandamento proíbe?

Resposta: O décimo mandamento proíbe todo descontentamento com a nossa condição,1 todo movimento de inveja ou pesar à vista da propriedade do nosso próximo2 e todas as tendências e afeições desordenadas a alguma coisa que lhe pertença.3

Referências:

1 “Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador” (1Co 10.10).

2 “Não nos deixemos possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros” (Gl 5.26).

3 “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria” (Cl 3.5).

sábado, 24 de setembro de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 36

Comente Aqui


Pergunta 76: Qual é o nono mandamento?

Resposta: O nono mandamento é: “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo”.1

Referências:

1 Ex 20.16.

Pergunta 77: O que o nono mandamento exige?

Resposta: O nono mandamento exige a conservação e promoção da verdade entre os homens1 e a manutenção da nossa boa reputação2 e a do nosso próximo,3 especialmente quando somos chamados para dar testemunho.4

Referências:

1 “Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros” (Ef 4.25).

2 “fazendo-o, todavia, com mansidão e temor, com boa consciência, de modo que, naquilo em que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difamam o vosso bom procedimento em Cristo” (1Pe 3.16); “Disse-lhe Paulo: Estou perante o tribunal de César, onde convém seja eu julgado; nenhum agravo pratiquei contra os judeus, como tu muito bem sabes” (At 25.10).

3 “Quanto a Demétrio, todos lhe dão testemunho, até a própria verdade, e nós também damos testemunho; e sabes que o nosso testemunho é verdadeiro” (3Jo 12).

4 “A testemunha verdadeira não mente, mas a falsa se desboca em mentiras” (Pv 14.5); “Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno” (Mt 5.37).

Pergunta 78: O que o nono mandamento proíbe?

Resposta: O nono mandamento proíbe tudo o que é prejudicial à verdade,1 ou injurioso, tanto à nossa reputação como à do nosso próximo.2

Referências:

1 “Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos” (Cl 3.9); “A falsa testemunha não fica impune, e o que profere mentiras não escapa” (Pv 19.5); “Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos” (Pv 6.16-19).

2 “evitando, assim, que alguém nos acuse em face desta generosa dádiva administrada por nós; pois o que nos preocupa é procedermos honestamente, não só perante o Senhor, como também diante dos homens” (2Co 8.20,21); “o que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra o seu vizinho” (Sl 15.3).

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 35

Comente Aqui


Pergunta 73: Qual é o oitavo mandamento? 

Resposta: O oitavo mandamento é: “Não furtarás”.1 

Referências: 

1 Ex 20.15. 

Pergunta 74: O que o oitavo mandamento exige? 

Resposta: O oitavo mandamento exige que procuremos o lícito adiantamento das riquezas e do estado exterior, tanto o nosso1 como o do nosso próximo.2 

Referências: 

1 “Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos” (Pv 27.23); “Mais vale o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro. O rico e o pobre se encontram; a um e a outro faz o SENHOR. O prudente vê o mal e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena. O galardão da humildade e o temor do SENHOR são riquezas, e honra, e vida” (Pv 22.1-4). 

2 “Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros” (Fp 2.4); “Se encontrares desgarrado o boi do teu inimigo ou o seu jumento, lho reconduzirás. Se vires prostrado debaixo da sua carga o jumento daquele que te aborrece, não o abandonarás, mas ajudá-lo-ás a erguê-lo. Não perverterás o julgamento do teu pobre na sua causa” (Ex 23.4-6). 

Pergunta 75: O que o oitavo mandamento proíbe?

Resposta: O oitavo mandamento proíbe tudo o que impede ou pode impedir, injustamente, o adiantamento da riqueza ou do bem-estar, tanto nosso1 como do nosso próximo.2 

Referências: 

1 “O que lavra a sua terra virá a fartar-se de pão, mas o que se ajunta a vadios se fartará de pobreza” (Pv 28.19); “Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente” (1Tm 5.8). 

2 “Atendei, agora, ricos, chorai lamentando, por causa das vossas desventuras, que vos sobrevirão. As vossas riquezas estão corruptas, e as vossas roupagens, comidas de traça; o vosso ouro e a vossa prata foram gastos de ferrugens, e a sua ferrugem há de ser por testemunho contra vós mesmos e há de devorar, como fogo, as vossas carnes. Tesouros acumulastes nos últimos dias. Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos” (Tg 5.1-4).
 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo