domingo, 27 de março de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 15

2 comentários



Pergunta 29: Como nos tornamos participantes da redenção adquirida por Cristo?

Resposta: Tornamo-nos participantes da redenção adquirida por Cristo, pela eficaz aplicação dela a nós pelo seu Santo Espírito.1

Referências:

1 “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” (Jo 1.12-13); “Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito” (Jo 3.5-6); “não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, 6que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador” (Tt 3.5-6).

Pergunta 30: Como o Espírito aplica-nos a redenção adquirida por Cristo?

Resposta: O Espírito aplica-nos a redenção adquirida por Cristo, operando em nós a fé,1 e unindo-nos a Cristo por meio dela em nossa vocação eficaz.2

Referências:

1 “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gl 2.20); “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus” (Ef 2.8).

2 “Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo. Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito” (1Co 12.12-13).

domingo, 20 de março de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 14

Comente Aqui



Pergunta 27: Em que consistiu a humilhação de Cristo?

Resposta: A humilhação de Cristo consistiu em ele ter nascido, e isso em condição baixa,1 sujeito à lei,2 em ter sofrido as misérias desta vida,3 a ira de Deus4 e a amaldiçoada morte na cruz,5 em ter sido sepultado e permanecido debaixo do poder da morte durante certo tempo.6

Referências:

1 “e ela deu à luz o seu filho primogênito, enfaixou-o e o deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria” (Lc 2.7); “pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz” (Fp 2.6-8).

2 “vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gl 4.4).

3 “Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso” (Is 53.3).

4 “Por volta da hora nona, clamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni? O que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mt 27.46).

5 “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro)” (Gl 3.13).

6 “Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1Co 15.3-4).

Pergunta 28: Em que consiste a exaltação de Cristo?

Resposta: A exaltação de Cristo consiste em ele ter ressurgido dos mortos no terceiro dia;1 em ter subido ao Céu e estar sentado à mão direita de Deus Pai;2 e em vir para julgar o mundo no último dia.3

Referências:

1 “e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1Co 15.4).

2 “o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro” (Ef 1.20-21).

3 “porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (At 17.31).

sábado, 19 de março de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 13

Comente Aqui



Pergunta 24: Como Cristo exerce as funções de profeta?

Resposta: Cristo exerce as funções de profeta, revelando-nos,1 pela sua Palavra2 e pelo seu Espírito, a vontade de Deus para a nossa salvação.3

Referências:

1 “Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou” (Jo 1.18).

2 “Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, 2nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo” (Hb 1.1-2).

3 “mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito” (Jo 14.26); “quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir” (Jo 16.13).

Pergunta 25: Como Cristo exerce as funções de sacerdote?

Resposta: Cristo exerce as funções de sacerdote por ter oferecido a si mesmo, de uma vez por todas, em sacrifício, para satisfazer a justiça divina1 e reconciliar-nos com Deus2, e fazendo contínua intercessão por nós.3

Referências:

1 “assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação” (Hb 9.28); “sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus” (Rm 3.24-26); “Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê” (Rm 10.4).

2 “Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo” (Hb 2.17).

3 “Por isso, também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hb 7.25); “Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu” (Is 53.12).

Pergunta 26: Como Cristo exerce as funções de rei?

Resposta: Cristo exerce as funções de rei, sujeitando-nos a si mesmo,1 governando-nos e protegendo-nos,2 contendo e subjugando todos os seus e os nossos inimigos.3

Referências:

1 “Disse o Senhor ao meu senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés. Senhor enviará de Sião o cetro do seu poder, dizendo: Domina entre os teus inimigos. Apresentar-se-á voluntariamente o teu povo, no dia do teu poder; com santos ornamentos, como o orvalho emergindo da aurora, serão os teus jovens” (Sl 110.1-3); “Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo” (At 2.36).

2 “Teve Paulo durante a noite uma visão em que o Senhor lhe disse: Não temas; pelo contrário, fala e não te cales; porquanto eu estou contigo, e ninguém ousará fazer-te mal, pois tenho muito povo nesta cidade” (At 18.9-10); “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isto” (Is 9.6-7).

3 “Porque convém que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos pés. O último inimigo a ser destruído é a morte. Porque todas as coisas sujeitou debaixo dos pés. E, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, certamente, exclui aquele que tudo lhe subordinou” (1Co 15.25-27).

sexta-feira, 18 de março de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 12

Comente Aqui



Pergunta 22: Como Cristo, sendo o Filho de Deus, se fez homem?

Resposta: Cristo, o Filho de Deus, fez-se homem tomando um verdadeiro corpo e uma alma racional,1 sendo concebido pelo poder do Espírito Santo no ventre da virgem Maria, e nascido dela,2 mas sem pecado.3

Referências:

1 “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (Jo 1.14); “Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo” (Hb 2.14); “Então, lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo” (Mt 26.38); “E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens” (Lc 2.52).

2 “Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Jesus” (Lc 1.31); “Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus” (Lc 1.35); “vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gl 4.4).

3 “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado” (Hb 4.15).

Pergunta 23: Que ofícios Cristo exerce como nosso Redentor?

Resposta: Cristo, como nosso Redentor, exerce o ofício de profeta,1 sacerdote2 e rei, tanto no seu estado de humilhação como no de exaltação.3

Referências:

1 “Disse, na verdade, Moisés: O Senhor Deus vos suscitará dentre vossos irmãos um profeta semelhante a mim; a ele ouvireis em tudo quanto vos disser” (At 3.22).

2 "Assim, também Cristo a si mesmo não se glorificou para se tornar sumo sacerdote, mas o glorificou aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei; como em outro lugar também diz: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque" (Hb 5.5-6).

3 “Eu, porém, constituí o meu Rei sobre o meu santo monte Sião” (Sl 2.6); “Filipe encontrou a Natanael e disse-lhe: Achamos aquele de quem Moisés escreveu na lei, e a quem se referiram os profetas: Jesus, o Nazareno, filho de José” (Jo 1.49).

quinta-feira, 17 de março de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 11

Comente Aqui



Pergunta 20: Deixou Deus todo o gênero humano perecer no estado de pecado e miséria?

Resposta: Tendo Deus, unicamente pela sua boa vontade, desde toda a eternidade, escolhido alguns para a vida eterna,1 entrou com eles em um pacto de graça, para os livrar do estado de pecado e miséria, e os levar a um estado de salvação, por meio de um Redentor.2

Referências:

1 "assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor" (Ef 1.4); "na esperança da vida eterna que o Deus que não pode mentir prometeu antes dos tempos eternos" (Tt 1.2).

2 "Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna" (Tt 3.4-7); "Manifestei o teu nome aos homens que me deste do mundo. Eram teus, tu mos confiaste, e eles têm guardado a tua palavra" (Jo 17.6).

Pergunta 21: Quem é o Redentor dos eleitos de Deus?

Resposta: O único Redentor dos escolhidos de Deus é o Senhor Jesus Cristo,1 que, sendo o eterno Filho de Deus, se fez homem,2 e assim foi e continua a ser Deus e homem em duas naturezas distintas, e uma só pessoa, para sempre.3

Referências:

1 "Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem" (1Tm 2.5).

2 "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai" (Jo 1.14).

3 "deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre. Amém!" (Rm 9.5); "porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade" (Cl 2.9); "Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre" (Hb 13.8).

quarta-feira, 16 de março de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 10

Comente Aqui



Pergunta 17: Qual foi o estado a que a queda reduziu o gênero humano?

Resposta: A queda reduziu o gênero humano a um estado de pecado e miséria.1

Referências:

1 “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram” (Rm 5.12); "como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer. A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios, a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura; são os seus pés velozes para derramar sangue, nos seus caminhos, há destruição e miséria; desconheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos" (Rm 3.10-18); “Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las” (Gl 3.10).

Pergunta 18: Em que consiste o estado de pecado em que o homem caiu?

Resposta: O estado de pecado em que o homem caiu consiste na culpa do primeiro pecado de Adão,1 na falta de retidão original e na corrupção de toda a sua natureza, o que ordinariamente se chama pecado original,2 juntamente com todas as transgressões atuais que procedem dele.3

Referências:

1 “Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos” (Rm 5.18-19).

2 “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais” (Ef 2.1-3); “Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Rm 8.7-8).

3 “Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe” (Sl 51.5).

Pergunta 19: Qual é a miséria do estado em que o homem caiu?

Resposta: Todo o gênero humano, pela sua queda, perdeu a comunhão com Deus,1 está debaixo de sua ira e maldição,2 e, assim, sujeito a todas as misérias nesta vida, à própria morte e às penas do Inferno para sempre.3

Referências:

1 “Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim” (Gn 3.8); “E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida” (Gn 3.24).

2 “entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais” (Ef 2.3).

3 “porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6.23); “Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me. E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não te assistimos? Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer. E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna” (Mt 25.41-46).

terça-feira, 15 de março de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 9

Comente Aqui



Pergunta 15: Qual foi o pecado pelo qual nossos primeiros pais caíram do estado em que foram criados?

Resposta: O pecado pelo qual nossos primeiros pais caíram do estado em que foram criados foi terem comido do fruto proibido.1

Referências:

1 "Então, disse o homem: A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore, e eu comi. Disse o SENHOR Deus à mulher: Que é isso que fizeste? Respondeu a mulher: A serpente me enganou, e eu comi" (Gn 3.12-13); "Mas eles transgrediram a aliança, como Adão; eles se portaram aleivosamente contra mim" (Os 6.7).

Pergunta 16: Caiu todo o gênero humano pela primeira transgressão de Adão?

Resposta: Visto que o pacto foi feito com Adão, não só para ele, mas também para a sua posteridade,1 todo o gênero humano, que dele procede por geração ordinária, pecou nele e caiu com ele na sua primeira transgressão.2

Referências:

1 "E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra" (Gn 1.28); "Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e lhe chamou Sete" (Gn 5.3); "De um só fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação" (At 17.26).

2 "Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo" (1Co 15.21-22); "Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram. Porque até ao regime da lei havia pecado no mundo, mas o pecado não é levado em conta quando não há lei. Entretanto, reinou a morte desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o qual prefigurava aquele que havia de vir" (Rm 5.12-14).

segunda-feira, 14 de março de 2011

Breve Catecismo de Westminster: Domingo 8

Comente Aqui



Pergunta 13: Conservaram-se nossos primeiros pais no estado em que foram criados?

Resposta: Nossos primeiros pais, sendo deixados à liberdade da sua própria vontade, caíram do estado em que foram criados, pecando contra Deus.1

Referências:

1 “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram” (Rm 5.12); “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu” (Gn 3.6).

Pergunta 14: O que é pecado?

Resposta: Pecado é qualquer falta de conformidade com a lei de Deus, ou qualquer transgressão dessa lei.1

Referências:

1 “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos” (Tg 2.10); “Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando” (Tg 4.17); “Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei” (1Jo 3.4).

sábado, 12 de março de 2011

Seu deus é o Deus da Escritura?

2 comentários



Depois da tragédia no Japão, alguns hereges começaram a defender um deus que nega a si mesmo e abre mão de sua Soberania. Apóstatas como Ricardo Gondin twittaram pérolas que deixaram qualquer Cristão bíblico irritado e triste. Frases como "Ou Deus tem tudo sob seu controle ou Ele ama. Prefiro acreditar que Deus ama" mostravam como o deus do Teísmo Aberto é fraco e não-Escriturístico. Neste contexto, segue abaixo um trecho de uma pregação que expressa um pouco sobre o Deus da Bíblia e sua autoridade nesta terra.


“E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações...”

Nossa segunda pergunta é: o que foi dado? Lemos: “É-me dado... o poder”. Nossas traduções em português são meio vagas na tradução desta palavra. Aliás, acredito que qualquer tradução seria vaga. Essa é uma palavra que é usada de um modo interessante por Mateus. Olhemos para ela por um instante.

O termo aqui traduzido como “poder”, no grego, é “exousia”, que significa um “poder de escolher, reger e governar. Liberdade de fazer como se quiser”. Isso foi o que Deus pai entregou para Jesus. Foi-lhe dado essa “exousia”, esse poder para fazer o que bem desejar, para governar e para reger o mundo.

Existe uma regra de interpretação bíblica que devemos atentar neste momento. Se quisermos conhecer o significado exato de uma palavra para um escritor, devemos analisar o uso desta mesma palavra em outros momentos e ver como ela é usada, na esperança de encontrar uma passagem que explique o que aquela palavra significa. Ao observarmos o uso de “exousia” por Mateus, observamos que ele a usa mais oito vezes em seu evangelho. Quatro vezes referente à autoridade que Jesus tinha para ensinar (7:29; 21:23,24,27), duas referentes à autoridade d’Ele para curar e perdoar pecados (9:6,8), uma sobre a autoridade dos discípulos para curar e expulsar demônios (10:1). Nenhumas destas sete passagens dão alguma luz sobre alguma peculiaridade no uso deste termo. Bem, existe ainda uma ultima passagem para olharmos, e é ela que faz toda a diferença em nossa análise:

“E o centurião, respondendo, disse: Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado, mas dize somente uma palavra, e o meu criado há de sarar. Pois também eu sou homem sob autoridade [exousia], e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu criado: Faze isto, e ele o faz.” (Mt 8:8,9)

Assim como em Hebreus 11, temos um verso em que um termo é explicado. O que é ter exousia? É ter o poder para dizer a um: vai, e ele ir; dizer a outro: vem, e ele vir; e a outro: Faça isto, e ele fazer. Essa é a autoridade que Cristo tem! O que Ele disser, é cumprido. Ele tem poder para dizer e acontecer. Ele tem poder para criar mundo apenas com o poder se Sua voz. “Porque falou, e foi feito; mandou, e logo apareceu” (Sl 39:9).

Perguntemos, agora, em terceiro lugar: em que extensão isso foi dado? O texto expressa que foi dado para Cristo “o poder no céu e na terra”. Essa expressão é um hebraísmo para dizer que Ele tem poder sobre tudo. Se um engenheiro tem autoridade sobre o pedreiro, ele pode dizer: “construa essa parede, e o pedreiro irá”. Mas esse mesmo engenheiro não pode dizer ao nada: “construa uma parede”, pois nenhuma parede aparecerá, já que ele não possui tal autoridade. Cristo pode dizer “haja luz”, e a luz aparecerá (Gn 1:3), não importa a quem Ele o diga. Ele tem autoridade sobre o que sequer existe para do nada, fazer tudo aparecer (ex nihilo, como dizem). O salmista diz: “Nos céus estabeleceu o Senhor o seu trono, e o seu reino domina sobre tudo” (103:19). Vejam: ele domina sobre céu e terra, sobre tudo que há para ser reinado. Toda a criação está nas palmas das mãos de nosso Senhor. Ele sustenta “todas as coisas pela palavra de seu poder” (Hb 1:3). Todas as coisas! Do céu a terra, Deus domina tudo o que há.

Deus tem autoridade sobre a matéria inanimada. “E disse Deus: Haja luz; e houve luz. E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca; e assim foi. E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi” (Gn 1:3,9,11). Ele mandou, e houve luz; Ele ordenou, e a vegetação se fez. Ele desejou, e o mundo foi alagado por águas: “Porque eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra...” (Gn 6:17). Ele é aquele que até o vendo e os mares lhe obedecem (Mc 4:41): “E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança” (Mc 4:39).

Deus tem autoridade sobre as criaturas irracionais. “Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão...” (Gn 2:19). “E de tudo o que vive, de toda a carne, dois de cada espécie, farás entrar na arca, para os conservar vivos contigo; macho e fêmea serão. Das aves conforme a sua espécie, e dos animais conforme a sua espécie, de todo o réptil da terra conforme a sua espécie, dois de cada espécie virão a ti, para os conservar em vida” (Gn 6:19,20). Nem foi Adão que procurou os animais e nem foi Noé quem os pôs na arca. Deus levou os animais até eles. Deus governa-os. Se Ele diz: “vá até lá”, eles certamente irão. “Depois veio a ele a palavra do SENHOR, dizendo: Retira-te daqui, e vai para o oriente, e esconde-te junto ao ribeiro de Querite, que está diante do Jordão. E há de ser que beberás do ribeiro; e eu tenho ordenado aos corvos que ali te sustentem” (I Rs 17:2-4).

Deus tem autoridade sobre os homens e os filhos dos homens. Ouçam as Escrituras: “O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos” (Pv 16:9). “Do homem são as preparações do coração, mas do SENHOR a resposta da língua” (Pv 16:1). “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o seu querer” (Pv 21:1). “Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do SENHOR permanecerá” (Pv 19:21).

Deus tem autoridade sobre criaturas espirituais, sejam anjos ou demônios. “... o Senhor enviou o seu anjo, e me livrou da mão de Herodes...” (At 12:11). “E Deus mandou um anjo a Jerusalém para a destruir...” (I Cr 21:15). “Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade” (Mt 13:41). “Enviou Deus um mau espírito entre Abimeleque e os cidadãos de Siquém...” (Jz 9:23). “Agora, pois, eis que o SENHOR pôs o espírito de mentira na boca de todos estes teus profetas...” (I Rs 22:23). “... e atormentava-o [a Saul] um espírito mau da parte do SENHOR” (I Sm 16:14). Até sobre Satanás, lemos que “... disse-lhe Jesus: “Vai-te, Satanás...”, e “Então o diabo o deixou...” (Mt 4:10,11).

Não existe nada, entre todo o cosmos, que escape da mão do Senhor.

Em ultimo lugar, observemos o quanto desta autoridade foi dada a Jesus. Não nos é penoso ler as palavras de nosso mestre: “É-me dado todo o poder no céu e na terra”. Todo o poder. Todo ele. Nenhuma gota de poder foi retida para Cristo. Nenhuma fagulha de autoridade lhe falta. Embora tenha vindo em humildade, Ele voltará poderoso como agora Ele o é. O nível mais profundo de soberania lhe foi concedido. Nada pode resistir ao Seu querer e até o menor dos elétrons move-se debaixo de Seu cuidado. “Porque o SENHOR dos Exércitos o determinou; quem o invalidará?” (Is 14:27). “Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado” (Jó 42:2). “Todos os moradores da terra são por ele reputados em nada; e, segundo a sua vontade, ele opera com o exército do céu e os moradores da terra; não há quem lhe possa deter a mão, nem lhe dizer: Que fazes?” (Dn 4:35). “No céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada” (Sl 115:3; cf Ef 1:11).

quarta-feira, 2 de março de 2011

Primeira Conferência Cante as Escrituras

Comente Aqui

clique para ampliar
É com muita alegria e louvor a Deus que anunciamos a Primeira Conferência Cante as Escrituras, que ocorrerá na Igreja Batista Central de Fortaleza (de Pedras), no Ceará [como chegar?]. Acontecerá dia 21 de maio (sábado) das 19:00h às 21:00h. Iremos defender, através de uma análise bíblica, as três premissas básicas de nosso manifesto: "A música cristã deve ser centrada nas Escrituras", "A música cristã deve ser baseada nos Atributos de Deus" e "A música cristã deve expor Cristo".

Com o intuito de cobrir parcialmente alguns gastos e abençoar outras vidas, a conferência não será gratuita. Mas sem desespero! A entrada custará UM REAL + 1 kg de alimento não perecível. O dinheiro cobrirá gastos, os alimentos serão doados para a ação social da própria IBC.

Pregador: Yago Martins, co-diretor e co-fundador do Cante as Escrituras, membro do Ministério Voltemos ao Evangelho e da Missão GAP.

Se você mora no Nordeste do Brasil, especialmente no Ceará, não perca essa oportunidade. Esperamos você lá para juntos proclamarmos uma música gospel mais cristã!
 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo