domingo, 28 de novembro de 2010

Nossa Depravação

3 comentários

Já postei esse poema aqui, mas fiz umas modificações e estou atualizando.

Nossa Depravação

Em delitos e pecados nós morremos,
com olhos furtivos e lábios blasfemos.
No curso do mundo era meu caminhar:
Servo de trevas e potestades do ar.
Minha carne reinava sobre meu ser:
Um filho da Ira, pronto a perecer.

Mesmo depois de toda a afronta,
a salvação já estava pronta.
Das mais densas trevas Ele nos tirou.
Por isso que minh'alma canta:
merecíamos Sua Ira Santa
mas ainda sim Ele nos perdoou,
depois que pecamos como o acusador pecou.

Não há justo na terra, nem um sequer,
ninguém que Te entende, Te busca ou Te quer.
Todos são desviados do teu amor.
Suas obras são más: podridão e fedor.
Todos pecaram, sem Tua glória estão;
mas em Cristo Jesus temos redenção.

Comentários

3 comentários em "Nossa Depravação"

Leonardo Bruno Galdino disse...
17 de novembro de 2010 21:56

Yago,

Belo poema calvinista (rsrs!). Posso tentar musicá-lo (ao violão)?

Abraços!

Yago Martins disse...
18 de novembro de 2010 08:29

Leonardo Bruno,

Obrigado, irmão!

Você pode, sim, música-lo; desde que siga uma regra: Enviar-me a cifra e a música gravada (pode ser de modo simples, como pelo celular) pra mim :D

Fica na Paz de Deus.

Cristo Somente disse...
17 de dezembro de 2010 19:19

Poema maravilhoso. Me fez lembrar de um hino de Philip P. Bliss Deus continue abençoando!

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo