quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Relato da Operação Jesus Transforma em Manaus (Parte 5)

1 Comentário

Parte: [1] [2] [3] [4] [5]
Veja as fotos: Álbum da Trans Manaus 2010


Estudos bíblicos

Quarta-feira, dia 07/07, tivemos um novo irmão para nos auxiliar, um jovem de 19 anos, chamado Paulo, da Primeira Igreja Batista de Manaus. Ele ficaria conosco até o fim da Trans. Minha dupla realizou 6 estudos, de manhã, à tarde e à noite. Por conta disso recenseamos apenas 6 casas, distribuímos 7 folhetos, 7 Evangelhos de João e marcamos 2 estudos bíblicos. Um dos estudos foi realizado na casa de Alberto, o jovem que tinha recebido a Cristo na terça-feira. Além dele, estavam presentes mais três pessoas: a irmã de Alberto, de nove anos, chamada Marisa; um amigo de Alberto, adolescente, de nome Igor; e um outro adolescente, de nome Pablo. Todos eles estavam bastante interessados e atentos ao estudo, respondendo corretamente as perguntas e também perguntando. Notei que Alberto, em especial, não só nesse estudo, mas também nos próximos, começou a dar evidências da genuinidade de sua conversão, pelos desejos e resoluções de viver uma vida conforme a Cristo, o que muito me alegrou.

Nesse dia eu comecei a ser tomado por um forte desânimo, devido a uma série de razões. As principais foram o cansaço físico e mental provocado pelo trabalho e o fato de eu estar dormindo muito pouco. Porém, como eu não havia tomado nenhuma vacina para me proteger contra a febre amarela e a malária, e como havia vários carapanãs em nosso quarto à noite, comecei a temer que eu pudesse ter contraído alguma dessas doenças e que o desânimo estivesse ligado a isso. Esse desânimo influenciou negativamente o meu desempenho no trabalho por dois dias, abandonando-me apenas na sexta-feira.

Na quinta-feira minha dupla recenseou 13 casas, realizou 2 estudos, distribuiu 5 folhetos, 3 Evangelhos de João e marcou 3 estudos. E na sexta-feira, como realizamos 5 estudos, conseguimos recensear apenas 3 casas e distribuir 2 folhetos. Em todo esse trabalho de evangelismo e recenseamento que realizamos durante a semana, observamos um fato curioso e triste, que eu chamei de “familiaridade descompromissada com o Evangelho”: existem muitos evangélicos em Manaus, mas muitos são não-praticantes e dão um péssimo testemunho, enquanto outros são desviados. Observamos que esse fato, aliado ao grande número de denominações e seitas diferentes em Manaus, que provocam grande confusão mental nas pessoas, é uma das maiores barreiras que impedem os pecadores de virem a Cristo e serem salvos.

Culto doméstico num lar pobre

Na sexta-feira à noite, toda minha equipe fez um culto na casa de uma mulher muito pobre do bairro. Ela havia sido evangelizada por outra dupla e tinha recebido a Cristo. Enquanto nos dirigíamos ao lugar onde ela morava, cantamos algumas músicas, levando a Bíblia em uma das mãos e sacolas com alimentos na outra. Havia um córrego entre a calçada e a casa dela e tivemos que atravessá-lo por uma ponte de madeira muito precária, estreita, sem proteções laterais e com algumas tábuas soltas. A mulher era muito magra, porque, às vezes, deixava de comer para alimentar seus 3 ou 4 filhos. Sua casa era um barraco com dois cômodos extremamente simples. O lugar cheirava mal e havia alguns gatos. Fizemos o culto do lado de fora da casa, todos de pé. Oramos, cantamos e o pai de Paulo, que tinha vindo para o culto, pregou sobre “O que é o Evangelho”. Após o culto Maria das Neves recitou uma poesia. Observei que a família ficou muito contente em nos receber. Eu fiquei muito comovido quando a mulher fez um agradecimento a Deus por Ele ter dado aquela casa a ela. Lembrei-me arrependido das vezes em que eu reclamei de barriga cheia.

Ação social e últimos estudos bíblicos

No sábado de manhã, toda a minha equipe foi a uma escola do bairro, onde faríamos ação social o dia todo, junto com mais voluntários da Primeira Igreja Batista de Manaus. Tivemos ginecologistas, dentistas, oftalmologistas, etc. Muitas pessoas do bairro se beneficiaram com essa ação social. Eu fiquei na porta da sala de ginecologia, pegando as fichas de quem faria a consulta. Minha dupla só ficou durante a parte da manhã, pois à tarde tínhamos alguns estudos para fazer.

Fizemos o último estudo com Laci, a mulher que havia perdido um filho de 21 anos. A irmã dela, chamada Isabel, participou de todos os estudos. No decorrer dos estudos durante a semana percebemos como Laci tornou-se mais sorridente e feliz, muito diferente de como a encontramos, triste e chorosa. Ela e sua irmã gostaram muito de nós e nos tornamos amigos. No final deste último estudo Laci recebeu a Cristo, o que me deixou muito feliz. Mas não tenho dúvidas de que a alegria no céu foi muito maior (Lc 15.7)!

Depois disso fizemos o último estudo do dia e o meu último estudo na Trans. A mulher que receberia o estudo morava numa casa de madeira bem simples. Fizemos o estudo sentados no chão da cozinha. Apesar de sua simplicidade, a mulher era bastante inteligente e já conhecia a Bíblia. Maria das Neves ficou responsável por continuar os estudos com ela depois que eu partisse.

Despedidas

Voltamos para casa, tomei um banho e preparei minhas malas. A Trans continuaria até o dia 17/07, mas eu teria que voltar antes, porque minhas férias do trabalho terminariam no domingo. Depois que os outros irmãos chegaram da ação social tomamos açaí, jantamos e conversamos.

Depois tivemos um devocional, onde os irmãos fizeram uma despedida, cada um lendo um texto bíblico para mim. Halysson leu Atos 26.16-18. Consolação leu o Salmo 128. Núbia leu Romanos 8.31-39. Não me lembro dos versículos lidos por Rainércia e Maria das Neves. Anaylse e Paulo não estavam presentes, pois tinham voltado para a casa deles e só retornariam à Trans no domingo. Os irmãos também me entregaram um pequeno cartão com o texto de I Coríntios 13.6-7, atrás do qual cada um escreveu uma mensagem. Consolação: “André, nós te amamos. Não vamos te esquecer”. Halysson: “Cara, Jesus te ama muito! Busque a Ele”. Maria das Neves: “André, foi bom conhecer você. Deus te abençoe”. Rainércia: “Agrada-te do Senhor e Ele satisfará os desejos do teu coração. Felicidades”. Núbia: “Ter vindo para a Trans foi muito bom. Melhor é ter conhecido você e saber que sou importante. Que Deus continue abençoando sua vida. Beijos...”.

Quando Pr. Dinê chegou à casa, para me levar ao aeroporto, despedi-me dos irmãos. Foi um momento bastante triste para mim. Eu havia me apegado bastante a eles. Era como se fizessem parte da minha família, o que não deixa de ser verdade, pois pertencíamos todos à família de Deus e sentíamos como se nos conhecêssemos há muito tempo. No carro, à caminho do aeroporto, conversei com Pr. Dinê sobre como a Trans foi uma grande benção em minha vida. Despedi-me dele no aeroporto de Manaus, também com uma grande tristeza e um princípio de saudade. O vôo partiu à 1:15 da madrugada e cheguei em Campinas cerca de 6:00.

A Trans marcou-me de muitas formas. Foi maravilhoso anunciar o Evangelho em um lugar tão distante e tão diferente. Foi maravilhoso conhecer novas pessoas, novos lugares e uma nova cultura. Mas a coisa mais marcante nessa Trans foi a comunhão existente entre os irmãos da minha equipe. Pessoas de lugares, sotaques, culturas e gostos gastronômicos tão diferentes, convivendo na mesma casa, de forma tão harmoniosa! Esses irmãos ficaram em meu coração e essa é uma experiência da qual nunca me esquecerei.

Epílogo

Esta é uma história incompleta. Ela narrou apenas as experiências da minha dupla durante os dias em que estive na Trans. Porém, muitos fatos aconteceram com outras duplas, creio que alguns muito mais interessantes do que os aqui narrados. Só em minha equipe havia pelo menos outras 2 duplas. Em toda a Trans Manaus havia 15 equipes, com mais de 150 voluntários no total. E todos eles continuaram trabalhando por mais uma semana. Quantas histórias não poderiam ser contadas! Muitas outras pessoas foram salvas através da pregação do Evangelho. Igrejas foram plantadas e outras, revitalizadas. Bairros que não conheciam o Evangelho genuíno foram alcançados. Mas mesmo a Trans Manaus é apenas um dos milhares de esforços que têm sido feitos por todo o mundo para que o Evangelho seja pregado em cada canto da terra, até o glorioso dia em que “a terra se encherá do conhecimento da glória do SENHOR, como as águas cobrem o mar” (Hc 2.14)!

Sim, de fato, esta é uma história incompleta. Mas foi bom fazer parte dela...

Comentários

1 comentário em "Relato da Operação Jesus Transforma em Manaus (Parte 5)"

Rodrigo disse...
19 de setembro de 2011 16:33

Acabei de conhecer o Blog. Passou a ter minha confiança também, além do monergismo.com

Irmão, o calvinismo aqui em Manaus está em extinção. Conheço umas 2 igrejas e uma congregação presbiteriana aqui que sao calvinistas. Eu e mais 7 irmãos, sendo 3 desses se tornaram calvinistas depois que expus a eles.

Quanto as Batistas, desconheço. Você veio muito bem armado com a confissão de 1689.

Por aqui ninguém usa essa confissão, ninguém conhece, não há incentivo a estudá-la. A própria CBB a rejeitou por passar a crer no livre-arbítrio para a salvação do homem (conforme Declaração de Fé de 1986, CBB), vide:

VI
ELEIÇÃO
(...)
Antes da criação do mundo, Deus, no exercício da sua soberania divina e à luz de sua presciência de todas as coisas, elegeu, chamou, predestinou, justificou e glorificou aqueles que, no correr dos tempos, aceitariam livremente o dom da salvação.
Ainda que baseada na soberania de Deus, essa eleição está em perfeita consonância com o livre-arbítrio de cada um e de todos os homens.
(...)

Posição contrária aos Cânones de Dort:

1. A DIVINA ELEIÇÃO E REPROVAÇÃO
ERRO 5
(...)
Eleição completa e definitiva de pessoas, porém, ocorreu porque Deus previu que elas perseverariam em fé, conversão, santidade e piedade até ao fim.
(...)
REFUTAÇÃO
Este erro está em conflito com toda a Escritura que repete constantemente para nossos ouvidos e corações, estas e semelhantes afirmações: eleição "não [é] por obras mas por aquele que chama..." (Rom 9:11), "...e creram todos os que haviam sido destinados para a vida eterna." (At 13:48); "...nos escolheu nele antes da fundação do mundo para sermos santos e irrepreensíveis perante ele..."
(...)

É contrária, ainda, às Confissões de Westminster e Batista (de 1689):

Westminster:

CAPÍTULO IX
DO LIVRE-ARBÍTRIO
III. O homem, caindo em um estado de pecado, perdeu totalmente todo o poder de vontade quanto a qualquer bem espiritual que acompanhe a salvação, de sorte que um homem natural, inteiramente adverso a esse bem e morto no pecado, é incapaz de, pelo seu pr6prio poder, converter-se ou mesmo preparar-se para isso.

Batista 1689:

CAPÍTULO 9
DO LIVRE ARBÍTRIO
3. Com a queda no pecado, o homem perdeu completamente toda a sua habilidade volitiva para aquele bem espiritual que acompanha a salvação.
Por isso, o homem natural é inteiramente adverso a esse bem, e está morto em pecados.
Ele não é capaz de se converter por seu próprio esforço, e nem mesmo de se dispor a isso.

Abraços!

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo