domingo, 5 de setembro de 2010

Paraklētos: Uma Exegese

5 comentários

Parte: [1] [2] [3] [4] [5]
Esta é uma série sobre II Coríntios 1:3,4, escrita pelo irmão Yago, focando-se no ministério da consolação.

Logo no início da segunda carta de Paulo aos Coríntios, já somos encantados com um rico louvor ao Soberano: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericór-dias e o Deus de toda a consolação” (1:3). Depois disso, a palavra “consolação” repete-se várias vezes, em um belíssimo discurso de Paulo sobre sofrimento e consolação. Convido-o a mergulhar comigo nessa palavra (consolação) e só emergir novamente quando tocarmos no fundo de seu significado.

Primeiro, vejamos a unidade de atributos da Trindade. Cristo é chamado em I João 2:1 de Advogado (paraklētos); no Evangelho de João (14:16), o Espírito Santo é chamado por Cristo de Consolador (paraklētos); e no texto de II Coríntios (1:3), Deus Pai é posto sobre toda a consolação (paraklesis). É belo perceber que a Trindade é perfeitamente una, não só neste atributo, mas em todos. Tanto o Pai, como o Filho, como o Espírito são nossos eternos consoladores. Não é por me-nos que Jesus diz, em João 14:16, que Ele enviaria o outro(allos) consolador. Allos nos dá a idéia de outro completamente igual ao primeiro, no grego.

Em segundo lugar, atentemos à riqueza de significados dessa palavra. Paraklētos é uma palavra grega de um significado tão profundo, que tem dado dor de cabeça em vários tradutores. Vejamos apenas o exemplo do texto de João 14:16: Na edição de 1611 da King James Bible, Paraklētos foi traduzido como Conforter (Consolador, Confortador); nas edições modernas dessa mesma tradução, Helper (Ajudador) é a tradução usada; na NVI em português, podemos ver esse texto empregando o adjetivo “Conselheiro”; na NTLH a tradução escolhida foi “auxiliador”; na Tradicional João Ferreira de Almeida (tanto na RC como na RA), vemos o adjetivo “Consolador” e na King James Atualizada na língua portuguesa, esse verbo foi traduzido como “Advogado”. A pergunta que fica no ar é: por que tantas traduções diferentes para a mesma pa-lavra? A resposta mais coerente seria: porque todas elas são possíveis.

Formado pelas palavras gregas Para (ao lado de) e Klētos (chamado), pode ser traduzido de uma forma literal e bruta como “aquele que é chamado para andar lado a lado”. É exata-mente isso que Deus é para nós. Ele vem andar do nosso lado, levando nossos fardos e dores.

Olhando de um modo mais cuidadoso, vemos que essa palavra era usada para designar os advogados da época. Pessoas que gratuitamente defendiam outros diante dos acusadores. Tais advogados, segundo o direito romano, deveriam ser totalmente íntegros e irrepreensíveis diante da lei. Não precisamos de muito esforço para perceber que não é à toa que Cristo é retratado como nosso advogado (Paraklētos).

Com o tempo, essa palavra deixou de significar apenas “advogado”, mas passou a signifi-car várias qualidades: “conselheiro, ajudador, consolador, encorajador, etc”. Não existe palavra na língua portuguesa que acople todos esses significados juntos. Por isso, é importante lembrarmos da imensa riqueza dessa palavra e sempre transmitir esse tesouro quando pregarmos sobre ele.

Que essa curta exegese possa auxiliar todos que passarem por II Coríntios. Com certeza isso dará um maior entendimento no “ministério da consolação”. Faço das Palavras de Paulo as mi-nhas: “E o próprio nosso Senhor Jesus Cristo e nosso Deus e Pai, que nos amou, e em graça nos deu uma eterna consolação e boa esperança console os vossos corações, e vos confirme em toda a boa palavra e obra.” (II Ts 2:16,17).

Senhor, obrigado por toda a Tua consolação. Agradecemos por levar nossos fardos
e enxugar nossas lágrimas. Em profundo quebrantamento, louvo-Te. Amém.

Comentários

5 comentários em "Paraklētos: Uma Exegese"

Oswaldo Paião disse...
5 de setembro de 2010 13:05

Parabéns Yago pelo belo artigo sobre o companheirismo fraterno e justo do Espírito de Deus - mediante seu Filho Jesus - como nosso Advogado / Paraklêtos! Estamos lançando uma edição completa, bilingue e inédita da Torá da Bíblia King James Atualizada; se o irmão desejar, será um prazer enviar-lhe um exemplar como cortesia. Basta me enviar seu endereço postal para o Email: oswaldo@abbapress.com.br
Um grande abraço! Oswaldo Paião

Julio Cunha disse...
19 de julho de 2014 09:00

Sem dúvida, esse artigo, apesar de curto, é muito rico.

Que a graça do Nosso Senhor Jesus Cristo te ilumine sempre, Yago, te use sempre em Seu serviço.

Raimundo Nonato disse...
28 de março de 2016 18:44

Estou muito feliz por este assunto Jesus Cristo como advogado (paeakletos)e gostaria de receber informações desse assunto.

Raimundo Nonato disse...
28 de março de 2016 18:45

Estou muito feliz por este assunto Jesus Cristo como advogado (paeakletos)e gostaria de receber informações desse assunto.

Naassom Silveira disse...
12 de agosto de 2016 06:24

Que a Paz do Senhor Jesus Cristo esteja com todos.

Realmente um lindo estudo, curto, fácil entendimento para estar ensinando sobre um dos atributos de Deus na divina Trindade.

Deus continue abençoando na sabedoria e saúde!

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo