quarta-feira, 21 de julho de 2010

O dízimo é válido nos dias de hoje?

15 comentários

Esta é a minha resposta a três perguntas sobre a validade do dízimo para os dias de hoje, publicada originalmente no blog Voltemos ao Evangelho, dia 19/06/2010. Leia o texto até o final antes de tirar qualquer conclusão.

O dízimo nos moldes que nós temos no Antigo Testamento não é mais aplicável nos nossos dias. No Novo Testamento nós temos as ofertas voluntárias para sustentar a obra de Deus.

A Epístola aos Hebreus, principalmente os capítulos 9 e 10, deixa bastante claro que todas as cerimônias do Antigo Testamento foram abolidas com a vinda de Cristo, pois elas apenas tipificavam Aquele que viria, eram sombras da realidade que é Cristo. Além dessa epístola, Paulo fala constantemente sobre a abolição das cerimônias do Antigo Testamento no Novo Testamento, como em Gl.4.8-11, Cl.2.8-23, etc. Assim, a questão é determinar se o dízimo fazia parte da lei cerimonial ou da lei moral. A lei moral é permanente (Mt.5.17-18) e a cerimonial, como eu disse acima, é transitória. Assim, dependendo de onde o dízimo se encaixa, ele é válido ou não para os dias de hoje. Quando analisamos o Antigo Testamento percebemos que o dízimo estava totalmente amarrado ao sistema sacrificial daquele tempo, e havia vários tipos de dízimo (Lv 27.32; Nm 18.21-28; Dt 12.6-17; 14.22-28; 26.12). Estando dessa forma ligado aos sacrifícios e ao sacerdócio veterotestamentário, o dízimo como era praticado no Antigo Testamento é impraticável nos dias de hoje. Assim, ele está incluso dentro da lei cerimonial e, dessa forma, não é mais aplicável no Novo Testamento.

Alguns usam a passagem de Mateus 23.23 para defender que o dízimo é válido atualmente. Mas é importante observar que, apesar do Novo Testamento começar sua narrativa com o nascimento de João Batista e de Jesus, a Nova Aliança só começou, de fato, quando Jesus morreu (Mt 26.28; 27.51; Cl 2.14; Hb 9.11-17). Assim, quando Jesus disse o que está escrito em Mt 23.23, eles ainda estavam no Antigo Testamento. Portanto, essa passagem não pode provar a validade do dízimo para o Novo Testamento.

Outros tentam defender a validade do dízimo com a passagem de Hebreus, capítulo 7. Porém, nessa passagem o autor da carta apenas mostra a superioridade de Cristo em relação ao sacerdócio do Antigo Testamento usando Melquisedeque como um tipo de Cristo, pois Arão (representando o sacerdócio veterotestamentário) pagou dízimos a Melquisedeque na pessoa de Abraão, mostrando sua inferioridade em relação à Melquisedeque. O objetivo da passagem não é falar sobre a validade ou não do dízimo para os dias de hoje, mas mostrar a superioridade do sacerdócio de Cristo.

Dito isso, é importante mencionar que, atualmente, muitos "cristãos" estão prontos para negar a validade do dízimo para os nossos dias, não porque querem dar mais, mas porque querem dar menos, ou até mesmo nada. Para esses eu digo que quem supostamente se converteu ao Senhor, mas não converteu o seu bolso, deve reavaliar sua conversão. O cristão reconhece que não apenas 10% do seu salário pertence ao Senhor, mas todos os seus bens. Assim, o verdadeiro cristão faz planejamentos financeiros para não gastar em coisas supérfluas, a fim de poder contribuir com o máximo possível para o Reino de Deus, voluntariamente. O verdadeiro cristão não busca viver uma vida de luxo, pois seu deus não é o dinheiro, e sim o Senhor, a quem Ele coloca em primeiro lugar.

Tomemos como exemplo a contribuição da igreja primitiva. A viúva no templo deu tudo o que tinha (Lc.21.1-4). Os primeiros cristãos vendiam propriedades e depositavam todo o valor aos pés dos apóstolos (At.4.34-37). Os pobres da Macedônia contribuíram acima de suas posses (II Co.8.1-3). Esse é o padrão que o cristão deve seguir.

Devemos também lembrar que os pastores que Deus designou para pastorearam o rebanho precisam de sustento, sendo responsabilidade da igreja provê-lo (1Co 9.3-14; ). Portanto, as ofertas voluntárias também são usadas para compor o salário do pastor, provendo os recursos materiais necessários para que ele continue anunciando o Evangelho.

Para aqueles irmãos que congregam em igrejas onde o dízimo é praticado (como também é o meu caso), tenho recomendado que continuem contribuindo com o dízimo, mas considerando-o em seus corações como uma oferta voluntária, e não se satisfazendo em contribuir apenas com a décima parte, mas com o máximo possível, como acontecia na igreja primitiva.

Para um estudo mais detalhado, veja no Monergismo:

O Dízimo (Túlio Cesar Costa Leite)

Veja também no blog Cinco Solas:

Comentários

15 comentários em "O dízimo é válido nos dias de hoje?"

Blog do Dumane disse...
21/07/2010 08:49:00

Graça e Paz
Eu creio que no dízimo ou mesmo nas ofertas voluntárias, consegue-se perceber quem na verdade é desprendido das coisas materiais e deste deus que é o mamom.
Agora, não há dúvida que tem havido uma sacralização exagerada quanto ao dízimo, como já ouvi: Não dar dízimo é um pecado tão grave como prostituição. Intimida-se os fieis com estas palavras e coloca-se a ira de Deus sobre eles. Isto claramente é um absurdo.

theossetemagnificos.blogpost.com se encontram muitos segredos disse...
21/07/2010 13:42:00

ok vejo que Dizimo e um tema muito forte pois mexe com o bolso de cada um .
Mas sim esta atual pois cada um deve lembrar que o Cristo falou sobre ele quando falou do cunho da moeda de cesar e de como devemos primorar em ter um lugar de adoração e renovação de nossas crenças e ajudar o proximo sem ipocrisia se sem dolo mas com um coração aberto mas cada um pensa a sua maneira pois tem credos que enriquecem a custa dos seus creentes falaando dos necessitados mas enchendo os bolsos a seu belo praser
.

Carlos Seino disse...
29/07/2010 23:41:00

Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Seino disse...
29/07/2010 23:42:00

Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Seino disse...
29/07/2010 23:42:00

Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Seino disse...
29/07/2010 23:46:00

Muito bom o texto (só observo que o exemplo da viuva ainda está mais ligado à antiga aliança, se desenvolvermos o mesmo raciocíno que foi utilizado no texto de modo geral). Geralmente os exemplos de contribuição no Novo Testamento tem a ver com a ajuda aos pobres. Os líderes da igreja primitiva parecem ter se comprometido com uma vida simples, e muito cedo começo a prática do celibato (o que tornava a vida mais simples ainda), já no momento patrístico. Eu chego a pensar que o dízimo obrigatório tem estado muito perto de sofrer a mesma condenaçao paulina em relação à circuncisão que os judaizentes queriam que fosse obrigatória, o que muito me preocupa. É muito difícil falar sobre isso na grande maioria das igrejas evangélicas. Só para meditarmos: será que dar o dízimo com coração voluntário, com diz o autor, não seria o mesmo que se deixar circuncidar, mas crendo no evangelho da graça? Outra coisa que entristece: no Brasil, temos uma das maiores cargas tributárias civis do mundo. Se agregarmos a isso o dízimo, as ofertas (e hoje muitos falam em primícias e outros tipos de contribuição), não estaremos também impondo uma das maiores cargas "tributárias" religiosas do mundo e nos colocando ao lado dos opressores? Além do que, em nossas igrejas, quase não se vê nada daquela camaradagem e partilha que parece transparecer das paginas neotestamentárias, e o evangelicalismo não tem sido particularmente conhecido pela sua ajuda aos pobres (sobre tal coisa, quase não se fala). Acho que na verdade, estamos mais inclinados a estabelecermos o templo, o sacerdócio e o sacrifício, como nos tempos véterotestamentários. A igreja não é o templo de Salomão, os nossos pastores não são levitas (não que não possam ser tempo integral, não é isso que quero dizer) e os nosso país não é Israel; daí, talvez também não faça sentido tirar um "tributo" do seu contexto original e aplicá-lo cruamente em nosso tempo. Mestas horas, vale a pena olhar para a centenária Congregação Cristã no Brasil que possui, pelo menos um ajuntamento de pessoas, em todos os países do mundo, e desde os seus primórdios, não cobra dízimo. Novamente, parabéns pela postagem, pela coragem, e por fazer parte de uma minoria que, pelo menos desconfia que algo não vai bem...
(o blogger deu um probleminha e publicou o meu comentári várias vezes, não sei porque...)

toninho_prefeitura@hotmail.com disse...
30/04/2012 19:07:00

quero que todos estudem a palavra ,certamente ela vai libertar você do dizimo e nunca mas o seu dinheiro vai para mãos dos ladrões , pastores .

Carlos de Jesus disse...
30/11/2012 17:51:00

Parabéns pelo seu comentário! Concordo plenamente...

Carlos de Jesus disse...
30/11/2012 17:57:00

Concordo plenamente com esse estudo. Parabéns!
Hoje quase todos os pastores jogam nos peitos dos fieis a passagem lá em Malaquias 3:10 e dizem: está na bíblia!
Eu digo: tudo que está na bíblia é bíblico, mais nem tudo que é bíblico é pros dias de hoje.

Cicero Santos disse...
27/12/2012 05:07:00

quem não dizima pecar e quem pega o dizimo e uza para o seu bem e si esquece do prosimo

Wesley Evencio disse...
04/04/2013 13:32:00

Caríssimo , muita boa sua visão , eu até concordo com ela.
Só quero afirmar que quem dizima, não deve continuar dizimando como você sugeriu. Essa negócio de fazer de conta é diabólico , a palavra deve ser sim ou não. A pessoa é liberta do erro ou não , não exite "Fazer de conta" me ajuda aí ...

Cesar Alonso Carrera disse...
10/09/2013 15:59:00

O DÍZIMO ATUAL A LUZ DA BÍBLIA.
NÃO É CORRETO NÃO É ERRADO. O DÍZIMO ERA SÓ PARA O POVO JUDEU PARA ALIMENTAR OS LEVITAS.
HOJE A PRATICA TEM QUE SER OFERTAS ESTA É A VONTADE DE DEUS PARA O NOVO TESTAMENTO. E AS OFERTAS COM CERTEZA SUPRIRAM TODAS AS NECESSIDADES TANTO DA CASA DE DEUS AS IGREJAS, QUANTO OS POBRES E OS NECESSITADOS DE CADA CONGREGAÇÃO. DÍZIMO É DA LEI. E JESUS CRISTO É O FIM DE TODA LEI. SEREMOS JULGADOS PELA GRAÇA E NÃO PELA LEI. TIAGO 2. 10 DEFINE BEM ESTA PRATICA DO DÍZIMO NOS DIAS ATUAIS.
ABRAÇOS

Cesar Alonso Carrera disse...
10/09/2013 16:12:00

Estamos mortos para a Lei e para o dízimo da LEI.
Pois eu pela lei morri para a lei, a fim de viver para Deus.(Gálatas 2-19)

AJUDAR O POBRE E O NECESSITADO É O MANDAMENTO DE DEUS PARA O NOVO TESTAMENTO. E ESTES ENTRARAM PELO LADO DIREITO DE DEUS E MORARAM COM DEUS.
E OS QUE ASSIM NÃO FAZEM E SEGUEM E PRATICAM O QUE NÃO ESTA NA PALAVRA E CREEM MAIS NO HOMEM FALSIFICADORES DA PALAVRA E NÃO NA PALAVRA OU MELHOR MUITOS NEM A PALAVRA LEEM VIVEM DIZENDO AMÉM A TUDO QUE OUVEM DESTES QUE USAM DA PALAVRA NÃO PARA PREGAR A PALAVRA E OBEDECER E TEMER A DEUS, MAIS PARA USA LÁ EM SEU BENEFICIO PRÓPRIO, ESTES DARÃO CONTA BREVE DO SEUS ATOS, E DAS OVELHAS QUE PERDERAM.
Fiquem na PAZ DO SENHOR todos.

Cesar Alonso Carrera disse...
10/06/2014 16:24:00

A PAZ DO SENHOR.
Gostaria de saber porque a maioria dos pregadores que praticam a cobrança do DÍZIMO não respondem a nenhum questionamento a respeito desta pratica.
Será que a PALAVRA fala de fato o que eles pregam.
e nós só queremos não pagar o DÍZIMO, por sermos avarentos.
Então respondão estas perguntas, só para nós ovelhas entender.
Afinal o DÍZIMO era em dinheiro?
O DÍZIMO era para todos, já naquela época?
Se já naquela época não era em dinheiro, porque seria agora?
Qual era a finalidade do DÍZIMO na LEI?
E qual é a finalidade do DÍZIMO hoje praticada pelos pregadores e pastores?
JESUS CRISTO morreu pelos nossos pecados para nos libertar de TODA A LEI ou só parte dela?
Porque na LEI tinham 613 mandamentos o DÍZIMO era um só deles. E os outros 612 porque também não cumpri-los?

Baseado na PALAVRA DE DEUS em Tiago. 2. 10
Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.
Então pregadores da pratica do DÍZIMO seremos julgados pela LEI OU PELA GRAÇA.

Quem deve ser ajudado? A Bíblia nos diz para ajudar “principalmente” os irmãos cristãos.

Gal 6:10 “façamos o bem a todos, mas, especialmente aos da família da fé.”
JESUS CRISTO disse. Que sempre haveria pobres.
João 12:8 “Porque os pobres sempre os tendes convosco, mas a mim, nem sempre me tendes;”
Deut 15:11 “Pois nunca deixará de haver pobres na terra; por isso, eu te ordeno: livremente, abrirás a tua mão para o teu irmão, para o necessitado, para o pobre na tua terra.”
O DÍZIMO DESTE TEMPO. CHAMA-SE OFERTA DE AMOR PREGADORES
É impossível encontrar na Bíblia Sagrada, no NOVO TESTAMENTO, uma base verdadeira para cobrança de dízimo dos cristãos, mas pelo contrário, a orientação da Palavra de Deus é para que nenhum cristão troque a sua liberdade espiritual pela maldição da servidão da Lei.
Meu. email. alonsocarrera@hotmail.com
FIQUEM TODOS NA PAZ DO SENHOR

José Rubens Medeiros disse...
10/09/2014 17:58:00

E, para piorar muitíssimo, há pessoas que, ávidas por defender o dízimo, inserindo-o "também"(sic) no Novo Testamento, simplesmente deturpam claramente as Palavras do Senhor da Igreja, o qual JAMAIS defendera o dízimo, eis que, muitíssimo ao contrário disso, como se pode claramente ler em Mateus 23:23, limitara-se a repreender os hipócritas e zombadores e desonestos e trapaceiros fariseus e escribas que, vivendo SOB A LEI, dando o dízimo e empinando o nariz como se dela cumpridores fiéis, desprezavam o mais importante DA LEI, isto é, o juízo, a misericórdia e a fé?
Em outras palavras, o Senhor Jesus lhes lançara em rosto a sua estultícia e miséria espiritual, fazendo-os perceber que o fato de eventualmente cumprirem PARTE DA LEI, pagando o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, não os tornava "santos", tampouco teria o efeito de impregná-los de dignidade, na medida em que DESCUMPRIAM OS PONTOS MAIS IMPORTANTES DESSA MESMA LEI!

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas." (Mt 23:23)

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Vinícius M. Pimentel