quinta-feira, 25 de junho de 2009

Invocai o Seu Nome - Isaías 12:4

3 comentários

Parte: [1] [2] [3] [4]

"E direis naquele dia: Dai graças ao SENHOR, invocai o seu nome, tornai conhecidas entre os povos as suas obras, proclamai como o seu nome é majestoso." (Is 12:4)

Após falar sobre dar graças ao Senhor, o profeta Isaías segue nos exortando a invocar o Seu nome. Observe bem a ordem com que o Espírito dispôs as instruções: primeiro, as graças, ou seja, o louvor, o reconhecimento de quem é Deus, de Suas bençãos maravilhosas sobre nós; e depois, invocar o nome Dele.

Invocar o nome de Deus, em palavras mais simples, significa chamar por Ele. Veja que este é um imperativo do profeta, e a pergunta que nos fazemos é: por que devemos invocar o Seu nome? Tenho dois motivos em mente, os quais quero compartilhar com vocês.

Primeiramente, devemos invocá-Lo por ansiar desfrutar de Sua comunhão! Queremos que Deus esteja perto de nós, o mais perto possível, porque amamos a Sua companhia, nos deliciamos na Sua amizade, e não há nada mais sublime para nós do que vermos Sua glória, conhecê-Lo e experimentá-Lo. Nosso coração regenerado grita: "Assim como a corça anseia pelas águas correntes, também minha alma anseia por Ti, ó Deus! Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei e verei a face de Deus?" (Sl 42:1-2); levamos a sério o convite de alegria do salmista, que diz: "Provai e vede que o SENHOR é bom." (Sl 34:8); queremos ser como Moisés, pois diz a Escritura que "O SENHOR falava com Moisés face a face, como quem fala com o seu amigo" (Ex 33:11).

Ah, meus irmãos, o nosso coração nascido de novo deseja todas essas coisas, mas muitos de nós as deseja tão fracamente, tão morosamente! Devemos desejar o próprio Deus mais do que tudo em nossas vidas! Devemos chamá-Lo o tempo todo, e cultivar nosso relacionamento de intimidade com o nosso Pai querido, através da oração, meditação na Bíblia, comunhão dos santos, vivendo uma vida de constante e profunda adoração. Que esta seja a nossa oração: "Te queremos, te queremos, oh Deus!".

Em segundo lugar, devemos invocá-Lo por necessitarmos de Sua intervenção poderosa em nossas vidas. Deus diz: "Invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás" (Sl 50:15). Veja a ordem de Deus para clamarmos a Ele no momento da angústia, seguida de duas promessas maravilhosas: livramento para o homem que clama e glória para o Deus que responde!

Queridos irmãos, que grande ensinamento salta aos nossos olhos, diante de um texto como esse! A glória de Deus e o bem de Seu povo estão intimamente ligados: Deus exalta o Seu nome ("tu me glorificarás") abençoando Seu povo ("eu te livrarei"). Cristão, clame a Deus no dia de sua angústia: Ele vai livrá-lo, e nesse livramento você o glorificará, pois sua própria vida abençoada testemunhará sobre Ele, junto com seus lábios que explodirão de louvores ao grande Libertador! Que Deus bendito!

Meditem nessas coisas, irmãos! Que a intimidade com Jesus e o Seu agir poderoso em nossas vidas nos acompanhem continuamente! Invoquemos sempre o nome que está acima de todo nome, o nome precioso de Jesus Cristo.

Abraços, de seu irmão,
Davi.

Comentários

3 comentários em "Invocai o Seu Nome - Isaías 12:4"

Luciano disse...
26/01/2011 11:04:00

Davi, em sua opinião, este texto de Isaías 12:4 determina que invoquemos qual nome? Seria o nome de Jesus ou o nome do Pai e Deus de Jesus?

Isaías 12:4 (Bíblia de Jerusalém) diz:
"E direis naquele dia: Louvai a IAHWEH, invocai o seu nome, proclamai entre os povos os seus feitos, fazer saber que SEU NOME É EXCELSO."

Por que o nome de Deus é tão pouco utilizado entre os cristãos?

Evaldo disse...
11/02/2011 01:56:00

Luciano, acredito que o nome de Deus seja pouco conhecido entre os cristãos pelo fato de não se saber como dizê-lo. Nem os judeus tem certeza de como pronuncia-lo. Meu pai (que agora já dorme no Senhor) chamava-se Elenildo, mas a melhor maneira que eu aprendi de me dirigir a ele foi chamando-o de pai. Foi assim que Jesus nos ensinou a chamar o nosso Deus: "Pai nosso...". Digo isso porque tenho interesse na sua pergunta. Muito respeitosamente.

Luciano disse...
11/02/2011 11:03:00

Evaldo,

O nome de Jesus também sofreu alterações. É provável que o nome de Jesus seja pronunciado como Ye-shú-a, em hebraico, todavia, pronunciamos Jesus, e aceitamos essa alteração.

Creio que a omissão ao nome de Deus, envolve dois quesitos: a) ignorância ao ensino da própria Bíblia; b) falta de amor ao próprio Deus, já que há desinteresse em seu nome.

Jesus disse em oração: Eu lhes (seus seguidores) tenho dado a conhecer o TEU NOME e hei de dar a conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles e eu em união com eles - João 17:26.

A forma que se tornou mais conhecida para o nome de Deus é JEOVÁ. Os eruditos da Bíblia de Jerusalém preferem a versão IAHWEH. Ao meu sentir, tanto faz uma ou outra, são as duas mais conhecidas e respeitadas entre os eruditos. O nome deve ser usado de forma apropriada, para não ser uma utilização vã. Mas, a omissão do uso do nome de Deus, ao meu ver, é tão pior quanto o seu uso vão.

O fato é que a maioria dos cristãos não utilizam nenhum nome, apenas o chamam de Senhor, que não é nome, se recusando a invocar o nome de Deus. A Bíblia cita o nome de Deus por quase 2mil vezes. Logo, é um nome importante!

Atos 15:14 diz:
Simeão tem relatado cabalmente como Deus pela primeira vez, voltou a sua atenção para as nações, a fim de tirar delas UM POVO PARA O SEU NOME.

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Vinícius M. Pimentel