quarta-feira, 13 de maio de 2009

Sonhando com avivamento

1 Comentário

Havia, em certa comunidade cristã, um pregador do Evangelho muito simples e, ao mesmo tempo, profundo. Seus sermões eram sempre carregados de graça e poder, de tal modo que muitos pecadores encontravam a Cristo e a Igreja era edificada, crescendo em graça e santidade.

O centro do culto era a pregação da Palavra de Deus, e este era o momento mais solene, aguardado por toda a congregação, pois sabia-se que Deus falaria com Seu povo. E realmente Deus falava! Ele trovejava dos céus com Sua voz poderosa, e os corações não podiam resistir à voz do Espírito. Muitos caiam em lágrimas de arrependimento, por reconhecerem seus pecados; outros, fascinados pela visão da glória de Cristo, prostravam-se em adoração; mais outros ainda, ao entenderem que seus pecados foram perdoados em Cristo, se alegravam com alegria indizível e cheia de glória. Havia um senso tremendo da presença do santo Deus.

As mensagens não eram como as dos púlpitos modernos, carregadas de conceitos de auto-ajuda e psicologia. A teologia da prosperidade não tinha lugar naquela igreja. O povo estava aprendendo que não deveria amar o mundo, nem o que no mundo há. Que o chamado de Jesus é para renúncia, para abrir mão de si mesmo em prol da glória de Deus, e não para viver uma vida rodeada de prazeres mundanos.

Além disso, a pregação era sempre centralizada em Jesus. Este era o grande tema, tudo apontava para Jesus Cristo, e este crucificado: as orações, canções e a pregação. Falava-se da cruz de Cristo em todos os cultos; Jesus era o tema central, bem como todas as Suas belezas: Sua justiça, soberania, doçura, ira, e especialmente Sua graça! Ah, como a graça era o ingrediente máximo de todos os cultos! Sempre se falava da graça do Salvador, que é a única esperança para os pecadores e o firme sustento dos filhos de Deus!

Lá havia muita oração, e que orações fervorosas eram feitas naquele lugar! Os homens levantavam as mãos santas e clamavam ao Deus do céu; imploravam pela benção lá do alto, para que multidões fossem salvas para glória de Deus e para que a Igreja permanecesse firme e fiel diante Dele. Era comum ver idosos orando, baixinho: "Deus, visita-nos como outrora, como nos dias antigos, visita-nos"! Também se ouvia jovens, no mais pleno vigor de sua juventude: "Custe-nos o que custar, queremos ser santos; brilha sobre nós a luz de Teu rosto, pois somente Te queremos"!

Via-se paixão no rosto de todos. Havia paixão ardendo no coração dos irmãos, eles viviam apaixonadamente para glória de Deus, a fim de ver, experimentar, e manifestar esta glória, na face de Jesus Cristo, em todo o tempo, não importando qual fosse o custo. Por isso, lá havia amor, generosidade, bondade, mansidão, e todo fruto do Espírito. Havia santidade, nojo do pecado, prazer nas Escrituras! Sim, todos podiam fazer do Salmo 119 a oração mais sincera de seus corações, pois amavam a Palavra de Deus apaixonadamente! Meditavam nela dia e noite!

O Evangelho era pregado com suas palavras e com suas vidas. Arriscavam-se por amor de Cristo! Não se importavam em ser zombados, ridicularizados, presos, perseguidos: eles somente queriam expressar as grandezas Daquele que os salvou! Antes dos cultos, passavam pelas ruas convidando os mendigos, prostitutas, drogados, e toda sorte de pessoas desprezadas pela sociedade, para irem à igreja e ouvirem o Evangelho. Eles viviam o Evangelho.

"Senhor Jesus, estes são alguns pensamentos um tanto soltos a respeito de como poderia ser uma igreja agradável a Ti. Na verdade, creio que muito mais poderia ser dito, mas quem dera que pelo menos essas coisas fossem verdade! Salvador, faz isso tudo com o Teu povo! Torna essa descrição uma realidade nas igrejas brasileiras! Livra-nos do mundanismo que tem invadido as igrejas; das teologias perniciosas que desonram Teu nome e enfraquecem Teu povo; visita-nos, põe fogo nos corações, paixão pela Tua glória, por amor de Teu santo nome. Ah, quem dera vivêssemos apaixonadamente! Queremos Te conhecer cada vez mais, oh Deus! Derrama Teu Espírito sobre nós!

Jesus, glorifica o Teu nome! Mostra-te forte, para que as nações Te adorem. Faz que sejamos parecidos contigo, somos chamados pelo Teu nome, somos Teu povo especial. Querido Salvador, confiamos em Ti, descansamos na Tua graça, Rocha da nossa salvação"!

Comentários

1 comentário em "Sonhando com avivamento"

Célio R. disse...
13 de maio de 2009 13:26

É realmente triste que o proprio Cristo não tem sido o centro da pregação e que oração arrependimento, salvação e inferno tem saido do vocabulario do cristão moderno, por palavras como prosperidade, milagres, mover, unção disso, unção daquilo... as palavras não tem tanta importancia em si mas são resultados de umA teologia antropocentrica e não teocentrista. O evangelho esta sofrendo de miopia, fora de foco. Que esta oração que finaliza seu texto seja realmente o nosso desejo para a igreja moderna que esta doente.
Graça e a Paz de Nosso Senhor Jesus.

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo