segunda-feira, 30 de março de 2009

Gênesis 12: O Cumprimento Espiritual da Promessa Abraâmica

Comente Aqui

Este texto foi enviado por mim ao Grupo Leitura Bíblica, dia 04/01/2009, como um pequeno comentário ao chamado de Abrão no capítulo 12 de Gênesis.

No capítulo 12 temos o chamado de Abrão. Estando em Harã, Deus lhe disse para que deixasse sua terra e seus parentes, e fosse para a terra que lhe seria mostrada: Canaã. Abrão recebe a promessa de que seria pai de uma grande nação, ainda que sua esposa fosse estéril, e de que nele todas as nações da terra seriam abençoadas. Essa promessa seria cumprida inicialmente em Israel e plenamente no Novo Testamento, com o evangelho sendo pregado a todas as nações da terra.

Abrão, então, sai de Harã, mas leva consigo seu sobrinho Ló, ao contrário do que Deus lhe havia ordenado. Por tal razão, algum tempo depois Abrão terá alguns problemas, o que será visto no capítulo 13. Ele vai para Siquém, em Canaã, onde Deus lhe aparece novamente, prometendo dar aquela terra à descendência dele. De fato, os israelitas irão conquistar essa terra no futuro, mas a perderão por sua desobediência sucessivas vezes na história e definitivamente em 70 d.C., com a destruição de Jerusalém pelos exércitos romanos, liderados por Tito. Por tal razão, no Novo Testamento essa promessa divina é entendida espiritualmente e de forma mais abrangente, não como uma possessão neste mundo, mas no vindouro.

Paulo interpreta essa promessa em Gálatas 3.16: "Ora, as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente. Não diz: E aos descendentes, como se falando de muitos, porém como de um só: E ao teu descendente, que é Cristo". A descendência da qual Deus falou era o próprio Cristo, que veio da descendência de Abrão. Cristo seria o herdeiro de todas as bençãos prometidas por Deus a Abrão e todos aqueles que colocassem sua fé nEle seriam co-herdeiros: "Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes. Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa" (Gl.3.26-29; cf. Rm.8.17). A verdadeira possessão que Abrão almejou e que almejam os legítimos descendentes dele, que somos nós, os que cremos em Cristo, é a cidade celestial, como afirma o autor da Epístola aos Hebreus:

"Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia. Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa. Por isso, também de um, aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu e inumerável como a areia que está na praia do mar. Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria. E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade" (Hb.11.8-16).

Comentários

Nenhum comentário em "Gênesis 12: O Cumprimento Espiritual da Promessa Abraâmica"

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo