quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Reprovação: um ato de injustiça divina?

22 comentários

Este texto é uma resposta ao Jr. que comentou meu texto Soberania divina e responsabilidade cristã para com o ímpio.

Você disse que, por Deus ser amor e justiça, não concorda com o fato dEle ser soberano sobre o destino dos ímpios, dando-lhes o castigo eterno no inferno. Analisemos essa questão em detalhes.

Ao falar da justiça de Deus, você parece crer que ela é recuperante e não punitiva. Quanto a isso, sugiro que você leia meu artigo A Ira do Senhor e o início do livro de Naum, principalmente o versículo 3 do capítulo 1: "O Senhor é tardio em irar-se, mas grande em poder e jamais inocenta o culpado". Deus não pode inocentar o culpado, do contrário Ele seria injusto. Quando dizemos que Deus é justo queremos dizer que Ele dá a cada um o que é devido: recompensa aos justos e punição aos injustos. Portanto, a justiça divina inclui também a punição.

Se Deus não inocenta o culpado e o homem é pecador e culpado de transgredir a lei divina, Deus necessariamente irá puni-lo. Se não o fizesse Deus não seria justo e não seria Deus. Deus não pode justificar o ímpio, porque isso é abominável para Ele: "O que justifica o perverso e o que condena o justo, abomináveis são para o SENHOR, tanto um como o outro" (Pv.17.15). Por tal razão, não deveria nos espantar o fato de Deus enviar pecadores ao inferno, porque é isso o que eles merecem. Isso só é injusto para quem ainda não entendeu a santidade de Deus e o pecado do homem. Não deveria nos impressionar o fato de Deus punir pecadores, deveria nos impressionar se Ele não o fizesse!

O fato, porém, é que muitos pecadores não são punidos por Deus! Como explicar isso? É aqui que entra a graça e o amor de Deus. Dentre toda a raça humana Deus amou uma multidão de todos os povos, tribos, línguas e nações e decidiu não puni-los por seus pecados, fazendo justamente o oposto: dando a eles a recompensa da vida eterna, como se eles tivessem obedecido a lei de Deus. Isso não é espantoso? Como um Deus justo que não inocenta o culpado pode perdoar um pecador e, indo além, considerá-lo um justo?

Esse é o maior mistério do Universo e foi revelado em Cristo Jesus! Ele veio a este mundo como o representante dessa multidão de pecadores eleitos, obedecendo a lei de Deus no lugar deles e morrendo por seus pecados, de modo que toda a ira divina que os pecadores eleitos mereciam foi lançada sobre Ele. Deus condenou em Cristo os pecados de todos os eleitos, e agora nenhuma condenação há para eles (Rm.8.1). E não apenas isso, a justiça de Cristo alcançada por Sua perfeita obediência é imputada aos eleitos quando crêem, e assim Deus pode justificar o ímpio (Rm.4.5) sem tornar-se injusto. Você percebe a grandeza disso? Esse é o coração do evangelho! É disso que Paulo trata em Romanos 3.21-26, quando mostra que a expiação de Cristo na cruz é o modo pelo qual Deus manifesta Sua justiça, sendo ao mesmo tempo justo e justificador daquele que tem fé em Jesus (v.26).

Portanto, o que me impressiona não é a reprovação divina. Inferno é o que todos nós merecíamos. O que realmente me impressiona é a eleição: Deus ter me escolhido e me dado a vida eterna através de Cristo Jesus quando eu merecia justamente o oposto! Isso sim me espanta e me prostra de joelhos, levando-me a adorar apaixonadamente a esse Deus que me amou de maneira tão sublime!

No final do seu comentário você diz que a Bíblia não deve ser usada para apoiar nossas teses e ideologias, e eu concordo. Mas se você estudar melhor esses assuntos perceberá que não são minhas teses e ideologias, mas doutrinas vindas do próprio Deus. Para entender melhor esses assuntos recomendo que você leia todos os textos da seção Calvinismo do blog, especialmente os seguintes:

Em que crê um cristão reformado

Calvinismo na Bíblia (II): Eleição Incondicional

Eleição Incondicional: um ato de injustiça divina?

Comentários

22 comentários em "Reprovação: um ato de injustiça divina?"

ALFJr. disse...
6 de fevereiro de 2009 11:27

Ok, estou meio atarefado agora, mas até essa tarde, eu continuo nosso diálogo.

Grande abraço.
Amigo em Cristo, ALFJr.

Anônimo disse...
6 de fevereiro de 2009 17:08

Cara, muito bom mesmo esse artigo, estou lendo com calma outros!!
vc fez qual seminario?
tem ele por correspondencia?
vc dar aulas na sua igreja?
abracos!

André Aloísio disse...
6 de fevereiro de 2009 23:00

Olá meu irmão, graça e paz!

Fico feliz que esse artigo tenha sido útil a você. Respondendo suas perguntas:

"vc fez qual seminario?"

Eu ainda não fiz nenhum seminário, mas estudo teologia por conta. Pretendo fazer um bacharelado em teologia no Seminário Presbiteriano José Manoel da Conceição em 2011, assim que terminar meu bacharelado em Ciência da Computação.

"tem ele por correspondencia?"

O Seminário JMC não tem curso por correspondência. Mas eu posso pesquisar e te recomendar um bom curso teológico por correspondência. Aproveite e dê uma olhada nos Livros Recomendados deste blog, principalmente os de Teologia Sistemática. A Teologia Sistemática de Wayne Grudem é uma boa opção para começar o estudo teológico.

"vc dar aulas na sua igreja?"

Sim, eu sou professor de Escola Bíblica Dominical em minha igreja local.

Irmão, se precisar de alguma ajuda para estudar pode contar comigo. Meu e-mail é tecmou@gmail.com e meu MSN é tecmou@hotmail.com.

Um forte abraço!

André Aloísio
O principal dos pecadores (I Tm.1.15)

ALFJr. disse...
8 de fevereiro de 2009 12:59

aro colega, fiz algumas considerações no meu blog, o título do artigo é:

Por que a presunção absolutista de alguns dos adeptos da fé reformada? (PARTE I).

Aparece por lá.
Abraço.

Anônimo disse...
13 de fevereiro de 2009 14:27

Se a graça fosse irresistível, todos os homens seriam salvos, visto que Deus amou o mundo (João 3.16), quer que todos os homens se salvem (ITm.2.4) e todos são alvo da sua graça, conforme Paulo escreveu a Tito (2.11).

André Aloísio disse...
13 de fevereiro de 2009 22:31

Olá Anônimo, graça e paz!

A graça é irresistível para os eleitos de Deus. Leia o artigo Calvinismo na Bíblia (IV): Graça Irresistível.

Deus não amou o mundo no sentido de ter amado todas e cada uma das pessoas do mundo sem exceção. A própria passagem de João 3.16 afirma que Deus deu o Seu Filho com um propósito limitado e específico: para que apenas aqueles que crêem em Jesus tenham a vida eterna. "Mundo" nessa passagem deve ser interpretado à luz desse fato, como significando todos os crentes ou, em outros termos, todos os eleitos, e apenas eles.

Deus não quer que todos os homens literalmente sejam salvos. Não é esse o significado de I Timóteo 2.4. Leia todo o contexto da passagem e você entenderá melhor. No v.1 Paulo exorta Timóteo a orar e interceder por "todos os homens". Paulo não estava dizendo para Timóteo orar por todos e cada um dos homens sem exceção, porque isso é humanamente impossível. O significado é que Timóteo deveria orar por homens de toda espécie, como fica claro no v.2. Sendo assim, o "todos os homens" do v.4 tem o mesmo significado do v.1. Em Apocalipse 5.9 vemos o mesmo significado: Jesus comprou com Seu sangue "homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação".

Nem todos os homens são alvos da graça de Deus. Novamente "todos os homens" em Tito 2.11 não pode ser interpretado literalmente. Esse versículo diz que "a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens". Essa é uma linguagem muito forte, que mostra "todos os homens" sendo realmente salvos. Se "todos os homens" nessa passagem significasse toda a humanidade, então o versículo estaria dizendo que toda a humanidade será salva, o que sabemos que é falso. Devemos entender "todos os homens" como "todos os eleitos", como fica claro pelo contexto, principalmente os versículos 13 e 14: "Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; o qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras".

Logo, sua conclusão de que todos os homens serão salvos se a graça for irresistível é falsa.

Que Deus te abençoe!

Abraços,

André Aloísio
O principal dos pecadores (I Tm.1.15)

Anônimo disse...
14 de fevereiro de 2009 18:28

Brother li todos esses comentários e gostei, mais ainda to na duvida, vc poderia ler este artigo e comentar no seu blog, digo publicar uma analise deste artigo!
http://www.geocities.com/Athens/Agora/8337/predest2.htm
abracos!!

André Aloísio disse...
14 de fevereiro de 2009 21:51

Olá Anônimo, graça e paz!

O artigo que você pediu para que eu comentasse é extenso demais e eu não tenho tanto tempo assim. Mas eu li o artigo e percebi que foi escrito por alguém que conhece o Calvinismo muito superficialmente. Creio que você encontrará no blog, nas seções Calvinismo e Soteriologia, respostas para quase todos os argumentos apresentados no tal artigo. Então, eu sugiro que você leia esses textos primeiro e, se ficar alguma dúvida, você pode mandar sua dúvida de uma forma mais específica. Pode ser?

Se precisar, meu e-mail é tecmou@gmail.com, e meu MSN é tecmou@hotmail.com .

Que Deus te abençoe!

Abraços,

André Aloísio
O principal dos pecadores (I Tm.1.15)

cristaoreformado disse...
15 de dezembro de 2009 17:00

Graça e paz!
Ainda gostaria de dizer que todas os elementos da salvação pertencem a Deus. Arrependimento (At 5.31), fé (Ef 2.8), O coração do pecador é Deus quem abre para si (At 16.14,15). Tudo isso por causa da graça-favor que não mereço, salvação (Ef 2.8), misericórdia-retirar o que mereço, condenação (Lm 2.20-24)

Juan Varela disse...
14 de fevereiro de 2016 18:56

Olá!

Onde não há livre-arbítrio, não há decisão, não há responsabilidade, não há pecado...

No Senhor, é possível obedecer ou desobedecer, ou seja é possível escolher.

João 8.36 diz "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres." Aparentemente atribuindo ao Senhor toda a responsabilidade.

Porém, se lermos poucos versículos antes (contexto), João 8.31-32 diz "Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."

Isto mostra que estes judeus deviam permanecer na palavra dEle. Este ato de permanecer é do próprio Deus? Então Deus está a conversar consigo mesmo?

André Aloísio disse...
13 de abril de 2016 22:38

Juan Varela, Jesus disse que ninguém pode ir a ele, se não for trazido (ou "arrastado", mais literalmente), pelo Pai (Jo 6.44). Ora, se para alguém ir a Jesus é necessário que Deus leve essa pessoa a Jesus, como podemos dizer que alguém pode permanecer em Jesus e em Suas palavras sem uma obra de Deus? Se ir a Jesus é algo que depende de uma obra de Deus, quanto mais permanecer em Jesus!

Isso não é contrário ao fato de que Jesus fala aos judeus que eles devem permanecer nEle, porque é exatamente pela Palavra de Cristo que Deus chama e preserva os crentes. Jesus chamou Lázaro para fora, mesmo que Lázaro não pudesse responder, por estar morto. Mas a Palavra de Cristo criou em Lázaro aquilo que ela pediu que ele fizesse, e Lázaro viveu e respondeu ao chamado de Jesus (Jo 11). A ressurreição espiritual não é diferente da ressurreição física nesse aspecto (Jo 5.24-29).

WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 01:26

Cara,isso é manipulação de ideia, vcs calvinistas manipulam o sentido das referências biblicas se aproriando da graça de forma EGOÍSTA isso se chama PRESUNÇÃO!
Tipico de vcs que não podem ser contestasdos nunca estão errados adoram uma disputa e se acham que saem sempre vitoriosos!
Façam o seguinte, não preguem não ensinem não evangeligem pois se ja existe um povo predestinado eleito e salvo para sempre que no caso com certeza na mente EXCLUSIVISTA de vcs sejam os calvinistas né?
porquê pregar para escolhido?
tipo, eles ja nasceram pronto?
O que chega a ser repugnante e abominavel na ideia astuta de vcs calvinistas é dizer que as doutrina Cristo são os ensinos John Calvino! Igualando Cristo o sumo pastor sem pecado a um mero pecador! Vcs amam esse titolu calvinista examente porque são seguidore de John Calvino não de Cristo!
Há! e sabe qual a definição de presunçoso?

Aquele que possui uma opinião positiva muito elevada de si mesmo; que se julga melhor que os demais; que se acha belo, perspicaz, com maior inteligência etc.
Indivíduo vaidoso, pretensioso.

Qualificações de Lúcifer!
Se olhou de mais no espelho
E vê no que deu.

WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 01:32

Este comentário foi removido pelo autor.
WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 02:10

Icomodou?

WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 02:13

Este comentário foi removido pelo autor.
WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 02:14

Apologeta de araque!

WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 02:15

Este comentário foi removido pelo autor.
WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 02:17

Apologeta de araque!

WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 02:18

Este comentário foi removido pelo autor.
WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 02:19

Este comentário foi removido pelo autor.
WOOLYOOD GAMES disse...
28 de setembro de 2017 02:19

Cara,isso é manipulação de ideia, vcs calvinistas manipulam o sentido das referências biblicas se aproriando da graça de forma EGOÍSTA isso se chama PRESUNÇÃO!
Tipico de vcs que não podem ser contestasdos nunca estão errados adoram uma disputa e se acham que saem sempre vitoriosos!
Façam o seguinte, não preguem não ensinem não evangeligem pois se ja existe um povo predestinado eleito e salvo para sempre que no caso com certeza na mente EXCLUSIVISTA de vcs sejam os calvinistas né?
porquê pregar para escolhido?
tipo, eles ja nasceram pronto?
O que chega a ser repugnante e abominavel na ideia astuta de vcs calvinistas é dizer que as doutrina Cristo são os ensinos John Calvino! Igualando Cristo o sumo pastor sem pecado a um mero pecador! Vcs amam esse titolu calvinista examente porque são seguidore de John Calvino não de Cristo!
Há! e sabe qual a definição de presunçoso?

Aquele que possui uma opinião positiva muito elevada de si mesmo; que se julga melhor que os demais; que se acha belo, perspicaz, com maior inteligência etc.
Indivíduo vaidoso, pretensioso.

Qualificações de Lúcifer!
Se olhou de mais no espelho
E vê no que deu.

André Aloísio disse...
28 de setembro de 2017 12:19

Olá Woolyood. Quanto ódio. Nenhum de nós apagou os seus comentários. Segundo o próprio Blogger indica, foi você mesmo quem os apagou: "Este comentário foi removido pelo autor". Estaremos orando por você. Que Deus te abençoe! Abraços!

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo