sábado, 11 de outubro de 2008

Predestinação e Pregação, segundo Agostinho

1 Comentário

"Mas alguns dizem: 'A doutrina da predestinação é prejudicial à utilidade da pregação'. Como se fosse contrária à pregação do Apóstolo: O Doutor dos Gentios não proclamou tantas vezes a predestinação na fé e na verdade e por acaso desistiu de pregar a palavra de Deus? Por ter dito: 'É Deus quem opera em vós o querer e o operar, segundo a sua vontade' (Fp.2.13), não exortou a querermos e a fazermos o que é do agrado de Deus? Ou por ter dito: 'Aquele que começou em vós a boa obra há de levá-la à perfeição até o dia de Cristo Jesus' (Hb.1.6), deixou de aconselhar as pessoas a começar e a perseverar até o fim?

E o próprio Senhor ordenou aos homens que cressem, quando diz: 'Crede em Deus, crede também em mim' (Jo.14.1), e nem por isso é falsa a sentença nem vã a afirmação,  quando diz: 'Ninguém pode vir a mim', ou seja, ninguém pode crer em mim, 'se isto não lhe for concedido pelo Pai' (Jo.6.66). Visto ser verdadeira esta afirmação, não é vão aquele preceito.

Portanto, por que julgamos a doutrina da predestinação, que a Escritura divina proclama, como prejudicial à pregação, aos mandamentos, à exortação e à correção, que aparecem tantas vezes na mesma Escritura?"

Bibliografia: A Graça II (O Dom da Perseverança), Agostinho de Hipona, Editora Paulus

Comentários

1 comentário em "Predestinação e Pregação, segundo Agostinho"

toninho disse...
24 de janeiro de 2010 17:25

meus amigos a predestinaçao e algo muito real na vida dos cristaos tudo esta predestinado nao ha duvidas todos nos fomos ocasionado a viver aquilo que ja estava pre-escrito tudo e de acordo com o que Deus ja determinou

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo