sexta-feira, 31 de outubro de 2008

A Nova Reforma Já Começou!

4 comentários

Hoje, dia 31 de outubro de 2008, a Reforma Protestante completa 491 anos. Nesta mesma data, em 1517, Lutero afixava na porta da Igreja de Wittemberg as 95 teses contra a venda de indulgências, dando início a esse que foi o maior avivamento da história da Igreja.

Muitos nos nossos dias, entre os quais eu me incluo, desejam uma Nova Reforma nos moldes daquela do século XVI, visto que a igreja evangélica moderna está numa situação tão desesperadora quanto à da Igreja Católica na Idade Média. Poucos, porém, têm notado que essa Reforma já começou... Sim! A Nova Reforma que tantos esperam está em pleno andamento!

No final do século XX e início do século XXI tivemos um ressurgimento da Teologia Reformada. Desde então, milhares de cristãos, das mais diversas denominações, têm redescoberto as doutrinas da graça e têm sido incendiados por essas gloriosas verdades. Até mesmo dentro do movimento pentecostal e neopentecostal cristãos têm sido despertados para o evangelho eterno, conforme pregado pelos reformadores. Na internet, muitos sites e blogs têm surgido anunciando o genuíno evangelho. Editoras reformadas têm publicado milhares de livros ensinando a sã doutrina. Simpósios, congressos e outros eventos reformados têm sido realizados em diversos lugares. E o mais maravilhoso é que todas essas coisas têm acontecido não apenas no Brasil, mas em todo o mundo!

Como se não bastasse, a redescoberta da Teologia Reformada tem produzido mudanças profundas na vida desses cristãos. O conhecimento da soberania e glória de Deus manifestada na criação, providência e redenção, a suficiência das Escrituras, de Cristo, da graça e da fé, a obra do Espírito Santo na regeneração, santificação, preservação e glorificação, etc, tem gerado no coração dos cristãos uma gratidão expressa em amor a Deus e ao próximo, numa vida para a glória de Deus.

Por que tudo isso está acontecendo? Quem está por trás desse movimento? Só há uma resposta: isso tudo é obra de Deus, que Ele está levando a cabo soberanamente através de vasos de barro como você e eu. Deus está levantando muitos Luteros em todos os cantos do mundo para apontar, pelas veredas antigas, qual é o Bom Caminho (Jr. 6.16).

Mas se essa Reforma já começou, o que nós devemos fazer para levá-la adiante?

Em primeiro lugar, nós devemos orar. Tudo começa e termina com oração. Com a Reforma do século XVI não foi diferente. É conhecida a frase de Lutero: "Atualmente estou tão ocupado que não posso passar menos de quatro horas por dia na presença de Deus". Se queremos ser úteis nessa Nova Reforma precisamos começar dobrando os nossos joelhos.
 
Devemos orar, porém, não apenas para clamar pela Reforma da Igreja. Não! Nós precisamos ter uma vida de oração e fazer dela nossa respiração espiritual, orando sem cessar (I Ts. 5.17). Quanto tempo passamos na presença de Deus? Será que não dedicamos nem mesmo uma hora por dia, quando Lutero dedicava mais de quatro? Como queremos ser usados por Deus sem oração? Não devemos alegar falta de tempo, porque Lutero orava tanto justamente porque estava muito ocupado! Mas se, pelo contrário, começarmos a orar, experimentaremos o poder de Deus de forma tão grandiosa quanto os discípulos em Atos 4.31, quando, após a oração, "tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus", porque "a oração de um justo pode muito em seus efeitos" (Tg. 5.16).
 
Em segundo lugar, nós devemos pregar. Mas só pode pregar quem conhece o conteúdo que será pregado, que se encontra nas Escrituras. Por isso, precisamos adquirir o hábito de ler e estudar a Bíblia diariamente, de forma sistemática e devocional, e no mínimo uma vez por ano, do começo ao fim. Se a oração deve ser nossa respiração, a leitura e estudo da Palavra deve ser nosso alimento, porque "não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus" (Mt. 4.4).

Conhecendo o conteúdo a ser pregado, como devemos pregar? Há diversos modos. Muitos que têm recebido a Teologia Reformada são líderes em suas igrejas locais. Esses devem aproveitar todas as oportunidades que tiverem para anunciar as doutrinas da graça aos seus irmãos, seja num sermão de domingo, seja num estudo para um grupo pequeno. No caso de pastores que pregam semanalmente, a pregação expositiva de livros completos da Bíblia, como o Evangelho de João e a Epístola aos Romanos, por exemplo, é a melhor forma de anunciar "todo o conselho de Deus" (At. 20.27). Aqueles que não têm direito à palavra em suas congregações podem anunciar o evangelho genuíno em conversas informais com seus irmãos. Os que têm dificuldades em se expressar com palavras podem presentear seus irmãos com livros e artigos reformados. Quem tem facilidade para escrever pode criar um blog reformado e divulgá-lo entre todos os seus conhecidos.

Muitos há que conheceram as doutrinas da graça como pentecostais ou neopentecostais e permaneceram em suas igrejas de origem. Esses devem permanecer o máximo que puderem e buscar uma Reforma em suas congregações, através da pregação. Reformar estruturas denominacionais é algo extremamente complexo, razão pela qual nenhum dos reformadores permaneceu na Igreja Católica. No entanto, para Deus tudo é possível (Mt.19.26). Um belo exemplo é Atanásio (295-373 d.C), que defendeu a divindade de Jesus praticamente sozinho num tempo em que grande parte da Cristandade era ariana*, e assim mudou para sempre a história do Cristianismo. Mas mesmo que uma igreja local ou denominação não seja reformada, podemos reformar cristãos, indivíduos em particular. Portanto, mãos à obra! Haverá perseguições e quem aceitar o desafio provavelmente terá como fim a excomunhão. Mas enquanto isso não acontece, façamos o máximo que podemos!

Não devemos limitar nossa pregação apenas à igreja ou aos cristãos. É verdade que muitos que se dizem cristãos ainda não conhecem o evangelho e devem ouvi-lo. Mas também é verdade que aqueles que estão do lado de "fora" precisam encarecidamente desse evangelho que é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê (Rm. 1.16). Portanto, anunciemos o evangelho entre familiares, vizinhos, colegas de classe, de trabalho, etc. Preguemos também a desconhecidos, através de evangelismo pessoal de casa em casa, evangelismo de massas em grandes centros e outros métodos presentes na Bíblia. Esses métodos têm sido considerados antiquados em nossos dias e muitos os têm abandonado. No entanto, o problema não é a antiguidade desses métodos bíblicos, e sim a novidade desse evangelho anti-bíblico, que tem sido pregado atualmente. Preguemos o verdadeiro evangelho aos pecadores para que vejamos as doutrinas da graça transformarem vidas também fora dos nossos arraiais!

Em terceiro e último lugar, nós devemos praticar. Discursos vazios não produzirão resultados. Pregações não acompanhadas por uma vida transformada de nada valerão. As pessoas precisam ver em nossas vidas aquilo que ouvem de nossos lábios. Isso significa viver em santidade, amando a Deus e ao próximo. Significa ser sal e luz em todos os cantos e recantos (Mt. 5.13-16). Precisamos viver para a glória de Deus, entronizando-O em todas as áreas de nossa vida: família, relacionamentos, estudos, trabalho, lazer, igreja e tudo o mais. "Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus" (I Co. 10.31). Só assim as pessoas verão em nós o reflexo de Cristo e a Reforma avançará transformando nossas vidas, famílias, igrejas, sociedades e governos.

Muitos no dia de hoje escreveram sobre os males da igreja moderna. Eu preferi escrever sobre os bens da Nova Reforma. Que essa seja uma mensagem de esperança e incentivo a todos os cristãos que anseiam, clamam e lutam pela Reforma da Igreja. É hora de nos levantarmos e brilharmos como uma luz que não pode ser apagada! Este é um tempo de mudanças! A Nova Reforma já começou!

"A Reforma da Igreja é obra de Deus e tão independente de esperanças e opiniões humanas quanto a ressurreição dos mortos ou qualquer milagre dessa espécie. Portanto, no que tange à possibilidade de fazer algo em favor dela, não se pode ficar esperando pela boa vontade das pessoas ou pela alteração das circunstâncias da época, mas é preciso irromper por entre o desespero. Deus quer que seu evangelho seja pregado. Vamos obedecer a este mandamento, vamos para onde Ele nos chama. O sucesso não é da nossa conta." (João Calvino, em carta a Carlos V, 1543).

Glossário:

* Ariano: Seguidor dos ensinos de Ário (256-336 d.C), um presbítero de Alexandria que negava a divindade de Jesus, afirmando ser Ele uma criação do Pai.

Comentários

4 comentários em "A Nova Reforma Já Começou!"

(-V-) disse...
1 de novembro de 2008 00:54

"Mas desde o nascente do sol até ao poente é grande entre os gentios o meu nome; e em todo o lugar se oferecerá ao meu nome incenso, e uma oferta pura; porque o meu nome é grande entre os gentios, diz o SENHOR dos Exércitos." (Ml 1: 11)

Não teríamos nós grande privilégio e honra em ver isso acontecer novamente?

Mais que uma Reforma, mais que um Despertamento, mais que um Avivamento, é Deus fazendo seu próprio nome dentre as nações

Pedras vivas irão clamar. Pedras vivas.

Clóvis disse...
1 de novembro de 2008 08:44

André,

Creio que ainda não estamos vivendo uma reedição da Reforma. Talvez, aquele período que precede a Reforma. Quem sabe não viveremos para ver o fruto do que está sendo semeado agora.

Mas é animador ver que enquanto o movimento evangélico descanda cada vez mais em bizarrices litúrgicas os "sete mil" vão tomando corpo e criando forças.

Em Cristo,

Clóvis

Lucas Louback disse...
1 de novembro de 2008 20:38

Coloquemos a mão no Arado

(-V-) Não teríamos nós grande privilégio e honra em ver isso acontecer novamente? [2]

Anônimo disse...
10 de fevereiro de 2009 11:19

Estou muito feliz de ver que há muitos irmãos iluminados por Deus com esta visão da Reforma da Igreja. Creio que isto provém do céu, e que Deus já está escolhendo homens e mulheres valorosos nestes últimos dias para fazer a diferença. Uma coisa digo! Quero ser um dos tais, como diz aquele famoso hino. Sabemos que é necessário renúncia e desprendimento do sistema religioso para conquistarmos a reforma. Que o Senhor ilumine os nossos olhos e nos conceda graça para lutarmos por esta causa.

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo