domingo, 8 de junho de 2008

Os Sacramentos

2 comentários

Este artigo foi escrito por Lucas de Lima Gualda em setembro de 2003, para o Jornal O Caminho, um jornal evangelístico e discipulador, idealizado por André Aloísio e publicado de outubro de 2002 à novembro de 2003. Este artigo apresenta os sacramentos de uma perspectiva reformada que pode discordar em alguns pequenos detalhes da visão batista.

Os sacramentos são ordenanças do Senhor Jesus que devem ser observadas pela sua igreja até ao fim dos tempos. Não são meros ritos, mas são sinais da graça e de bênçãos espirituais. O crente deve observá-los para que toda a igreja e o mundo vejam que ele é salvo e pertence ao corpo de Cristo – a sua igreja.

A Bíblia apresenta dois sacramentos: o batismo e a ceia do Senhor. Os demais ritos que a Igreja Católica Romana apresenta como sacramentos não foram ordenados pelo Senhor Jesus; logo, não passam de costumes e tradições humanas, as quais nenhum crente é obrigado a observar.

O sacramento do batismo foi instituído pelo Senhor Jesus quando ordenara aos apóstolos que pregassem o evangelho a todos (Mateus 28:19; Marcos 16:15,16). O batismo é o sinal de que somos discípulos de Cristo (Mateus 28:19), de que fazemos parte do seu corpo (I Coríntios 12:13), da remissão dos nossos pecados (Atos 2:38; 22:16), do novo nascimento (João 3:3,5), da nossa morte, sepultamento e ressurreição com Cristo (Romanos 6:3,4; Colossenses 2:12) e de que dele nos revestimos (Efésios 3:27).

Externamente, o batismo consiste em várias coisas: mergulhar em água (imersão), borrifar água (aspersão) e derramar água (efusão). Muitos dizem que só o batismo por imersão é correto. Essa idéia, porém, não tem fundamento nas Escrituras. Nem Jesus nem os apóstolos exigiram uma única forma de ministrar a água batismal; logo, a imersão, a aspersão e a efusão são igualmente corretas.

O batismo deve ser ministrado uma só vez a uma mesma pessoa (Efésios 4:5). O ministro deve efetuá-lo conforme ordenou o Senhor Jesus: "em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito" (Mateus 28:19).

O sacramento da ceia do Senhor foi instituído na noite em que Jesus fora traído, quando celebrava a Páscoa com os seus discípulos. A ceia do Senhor é um memorial da sua morte (I Coríntios 11:23-26).

Os elementos externos deste sacramento são o pão e o vinho (ou suco de uva). O pão representa o corpo de Cristo, a sua igreja, à qual pertencem os que participam deste sacramento; o vinho ou suco de uva representa o sangue de Cristo, derramado para remissão dos pecados (Mateus 26:26-28; Marcos 14:22-24; Lucas 22:19,10; I Coríntios 10:16,17).

Deve-se rejeitar a prática romanista de ministrar somente o pão aos leigos, contrária ao que as Escrituras ensinam. Todos devem receber todos os elementos externos da ceia do Senhor.

Deve-se rejeitar, também, a doutrina romanista de que a ceia do Senhor é uma repetição do seu sacrifício. As Escrituras ensinam que o sacrifício de Jesus foi único e perfeito (Hebreus 7:27; 9:25,26,28; 10:10-12,14). Apóstolo Paulo, em sua carta aos cristãos de Corinto, mostra que na celebração da ceia do Senhor o seu sacrifício é relembrado. Relembrado, e não repetido.

É necessário que a pessoa faça um auto-exame para participar da ceia do Senhor (I Coríntios 11:28). Há pessoas que podem participar deste sacramento sem que estejam nas devidas condições para tal. No entanto, elas fazem isto para a sua própria condenação (I Coríntios 11:27,29).

Comentários

2 comentários em "Os Sacramentos"

J.P disse...
19 de junho de 2008 00:04

Boa noite ao dono do blog e aos seus colaboradores.Que a paz de Nosso Senhor os cubra!! Apesar de estar na igreja efetivamente há mais de dois anos, somente agora tenho me dedicado ao estudo da Bíblia, mas, antes tarde do que nunca! Quero parabenizá-lo pelo conteúdo e pedir a volta das aulas de escatologia, que tanto nos enriquecem no momento em que vivemos. Claro que achamos todos os assuntos interessantes, mas este é crucial. Tomei conhecimento do blog hoje e já li todas as lições postadas. Desde já, obrigado. Desejo que fiquem na paz !

André Aloísio disse...
19 de junho de 2008 21:50

Olá irmão J.P, a paz!

Obrigado pela parabenização. Peço desculpas pelas aulas de escatologia. Devido às muitas obrigações, o tempo fica curto para escrever tudo o que eu gostaria. Mas estou quase terminando a lição 4 e assim que terminá-la irei publicar.

Tenha uma ótima noite! Que Deus te abençoe!

Abraços,

André Aloísio
O principal dos pecadores (I Tm.1.15)

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo