sexta-feira, 27 de junho de 2008

A Igreja de Jesus Cristo

4 comentários

Este artigo foi escrito por Lucas de Lima Gualda em novembro de 2003, para o Jornal O Caminho, um jornal evangelístico e discipulador, idealizado por André Aloísio e publicado de outubro de 2002 à novembro de 2003.

"Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível." (Efésios 5:27)

"Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade." (I Timóteo 3:15)

A igreja cristã é a totalidade dos escolhidos e salvos pelo Senhor. Integram a igreja cristã todos os que foram comprados para Deus por Jesus (cf. Apocalipse 5:9,10). Nem todos os membros dessa igreja estão unidos visivelmente, mas todos estão unidos no Espírito Santo, que é o selo de todos os cristãos (cf. I Coríntios 12:13; Efésios 1:13). A igreja é a continuidade do povo de Deus, que antes eram os judeus. Como a maioria dos judeus não creu que Jesus era o Cristo (o Messias), o reino de Deus lhes foi tirado e dado aos que creram em Jesus, os quais, pela fé, são judeus, independente de nacionalidade, posição social ou sexo (cf. Mateus 21:42,43; Gálatas 3:7,28). Esses são os membros da igreja.

Freqüentemente, usa-se o termo "Igreja" para a designação de grupos que têm uma doutrina e um governo diferentes dos demais. Na realidade, esses grupos são denominações, e não Igrejas, pois há uma só igreja. Há denominações que fazem parte da igreja cristã e denominações que não fazem parte dela. Mas, como saber se uma denominação é ou não verdadeiramente cristã? Os reformadores, no processo da separação da Igreja Católica Romana, encontraram nas Escrituras dois critérios que respondem à questão: a pregação da genuína palavra de Deus e a correta ministração dos sacramentos.

A denominação verdadeiramente cristã prega fielmente a palavra de Deus para que haja uma fé verdadeira. As Escrituras dizem: "De sorte que a fé é pelo ouvir, e ouvir pela palavra de Deus" (Romanos 10:17). Sem a fé em Jesus Cristo não há como se apropriar da graça salvadora, e só pode haver fé verdadeira se a genuína palavra de Deus for pregada. Toda denominação que prega a Trindade, a pessoa e a obra de Cristo conforme as Escrituras e a salvação pela graça é verdadeiramente cristã. Toda denominação que distorce o ensino bíblico sobre estas coisas é pseudo-cristã, é uma seita herética.

A denominação verdadeiramente cristã ministra corretamente os sacramentos porque eles são sinais externos das bênçãos espirituais concedidas a todos os crentes. Os sacramentos simbolizam a regeneração, o perdão dos pecados e a participação do indivíduo na igreja cristã. Por esta razão, a denominação verdadeiramente cristã ministra os sacramentos conforme a ordenança bíblica. Qual é a ordenança bíblica acerca da ministração do batismo? "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" (Mateus 28:19). E qual é a ordenança bíblica acerca da ministração da ceia do Senhor? "Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice" (I Coríntios 11:28). Toda denominação que desobedece à ordenação bíblica acerca dos sacramentos, como as seitas unicistas, que não efetuam o batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ou como a Igreja Católica Romana, que ministra apenas o pão da ceia do Senhor aos leigos, é pseudo-cristã, é uma seita herética.

Cristo é a pedra fundamental da igreja, e não o apóstolo Pedro (cf. Atos 4:11; Efésios 2:20).

Um dos credos ecumênicos do Cristianismo, o Credo Niceno, diz isto sobre a igreja: "Cremos na Igreja una, santa, católica e apostólica". A igreja, apesar das muitas denominações e igrejas locais, espiritualmente é apenas uma (cf. Efésios 4:3-6); é santificada por Cristo através da palavra de Deus (cf. Efésios 5:26); é católica (= universal), porque abrange pessoas de todas as etnias, nacionalidades, posições sociais e sexos (cf. Gálatas 3:28; Apocalipse 5:9,10); e é apostólica, porque está fundamentada sobre os apóstolos e a sua doutrina (cf. Atos 2:42; Efésios 2:20).

As tarefas da igreja são a evangelização, a observância dos sacramentos e a prática das boas obras.

Comentários

4 comentários em "A Igreja de Jesus Cristo"

(-V-) disse...
30 de junho de 2008 17:15

olha eu concordo com o Paul Washer no que ele diz: "há duas coisas que salvariam o cristianismo nos EUA. Ou uma forte reforma ou uma perseguição cruel aos cristãos"

fico pensando qual irá acontecer.
e fico fazendo aquela que possa fazer acontecer: Reforma Já!
rs

André Aloísio disse...
2 de julho de 2008 18:35

Irmão Vini, graça e paz!

Eu diria o mesmo quanto ao Cristianismo no Brasil. Apenas uma obra sobrenatural de Deus pode salvá-lo das heresias destruidoras que estão sendo pregadas dos púlpitos. Se essa obra virá como perseguição ou como Reforma, Deus sabe. Só não pode ficar do jeito que está.

Enquanto isso não acontece, façamos a nossa parte: oremos com fervor e preguemos com zelo. O resto Deus faz!

Abraços,

André Aloísio
O principal dos pecadores (I Tm.1.15)

I.E.Q disse...
4 de julho de 2008 17:45

andre,
nao entendi o que vc quiz dizer com (Um dos credos ecumênicos do Cristianismo).
ja que ecumenismo e :::::

do Lat. oecumenicu < Gr. oikoumenikós, do mundo inteiro

adj.,
relativo ao universo, a toda a Terra habitada;
universal;
diz-se do concílio para o qual são convidados os bispos de todo o mundo e que se reúne sob a presidência do PAPA, para deliberar e legislar sobre assuntos que respeitam a toda a cristandade;
relativo a um movimento religioso (ecumenismo).
UNIAO ENTRE CATOLICOS E PROTESTANTES,PARTILHANDO A MESMA CRENCA.
sou calvinista mais, realmente minha cabeca deu um no!!
abracos!! I.E.Q

André Aloísio disse...
5 de julho de 2008 15:03

Olá meu irmão, a paz seja contigo!

O artigo A Igreja de Jesus Cristo não foi escrito por mim, mas pelo irmão Lucas de Lima Gualda. No entanto, tomei a liberdade de responder ao irmão, já que a pergunta foi dirigida a mim.

Quando o Lucas menciona os "credos ecumênicos do Cristianismo", ele se refere aos credos universalmente aceitos por todos os cristãos (católicos, ortodoxos e protestantes), razão pela qual são chamados de "ecumênicos". Além do Credo Niceno (325 d.C), mencionado pelo Lucas, outros credos ecumênicos são o famoso Credo Apostólico (séc.VI), o Credo de Atanásio (séc.VIII) e a Declaração de Fé de Calcedônia (451 d.C). Tais credos são aceitos por nós, protestantes, não porque tenham alguma autoridade em si mesmos, mas porque seus ensinos são bíblicos. Sua autoridade, portanto, deriva das Escrituras e não da tradição apostólica.

Quanto ao ecumenismo, ele é prejudicial à fé cristã na medida em que rejeita doutrinas fundamentais usando como pretexto a união. Não há verdadeira união se não existir união doutrinária. Portanto, qualquer união entre católicos, ortodoxos, protestantes ou outros grupos cristãos é anti-bíblica, se não for acompanhada de um consenso doutrinário pautado na Palavra de Deus, nossa única regra de fé e prática. Mas oremos para que Deus, que é soberano e opera maravilhas, possa unir todos os filhos de Deus que andam dispersos em uma só fé (Ef.4.1-6), e que tal união seja um testemunho ao mundo (Jo.17.20-23).

Espero que eu tenha sido claro. Se ficou alguma dúvida, fique à vontade para perguntar.

Achei interessante o fato do irmão ser calvinista e membro da Igreja do Evangelho Quadrangular, como seu nick (I.E.Q.) parece supor. Gostaria de te conhecer melhor. Mande-me um e-mail (tecmou@gmail.com) para trocarmos idéias e experiências.

Nele, que roga ao Pai para que todos sejamos um, assim como o Pai é Nele e Ele no Pai,

André Aloísio
O principal dos pecadores (I Tm.1.15)

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo