terça-feira, 6 de maio de 2008

A Trindade Divina

8 comentários

Este artigo foi escrito por André Aloísio em outubro de 2003, para o Jornal O Caminho, um jornal evangelístico e discipulador, idealizado por André Aloísio e publicado de outubro de 2002 à novembro de 2003.

"Pois há três que dão testemunho no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um" (I João 5:7).

A Bíblia ensina que há somente um Deus. Mas também ensina que esse mesmo Deus é composto por três pessoas distintas: o Pai, o Filho (Jesus) e o Espírito Santo. A essa tri-unidade de Deus dá-se o nome de Trindade Divina.

A unidade de Deus é claramente ensinada na Bíblia (Deuteronômio 6:4; Efésios 4:6). Há no Ser divino apenas uma essência indivisível. Deus é um em Sua natureza constitucional.

A tri-pessoalidade de Deus também é ensinada nas Escrituras. A Bíblia apresenta cada uma das pessoas divinas como sendo Deus:

Pai- Toda a Escritura afirma ser Ele o Deus verdadeiro (João 6:27; Efésios 1:3,17; Filipenses 2:9; etc);

Filho- Jesus é chamado de Deus em diversas passagens bíblicas (João 1:1,18; 20:28; Romanos 9:5; Filipenses 2:5,6; Tito 2:13; I João 5:20; etc); recebe nomes divinos (Salmos 24:8-10 e I Coríntios 2:8; Isaías 9:6; Mateus 1:23; Apocalipse 1:8,17; 22:13; etc); exerce ofícios divinos: Criador (João 1:3; Colossenses 1:16), Preservador (Colossen-ses 1:17), Perdoador de pecados (Marcos 2:5,7,10; Lucas 7:49); apresenta atributos divinos: Onipotência (Mateus 8:26,27; 28:18; Hebreus 1:3; Apocalipse 1:8), Onisciência (João 1:47-51, 4:16-19,29, 6:64, 16:30), Onipresença (Mateus 18:20, 28:20; João 14:23; Efésios 1:23); recebe e aceita adoração (Mateus 2:11; 14:33; Lucas 24:52; João 5:22,23; Hebreus 1:6; etc);

Espírito Santo- O Espírito é apresentado na Bíblia como uma pessoa e não uma energia ou mera influência, pois apresenta características pessoais (I Coríntios 2:10,11; Romanos 8:27; I Coríntios 12:11; Romanos 15:30; etc) e atos pessoais (Apocalipse 2:7; Gálatas 4:6; João 15:26; Romanos 8:26; João 14:26; etc). Também é apresentado como Deus: recebe nomes divinos (Atos 5:3,4; II Coríntios 3:18; etc) e atributos divinos: Eternidade (Hebreus 9:14), Onipotência (Lucas 1:35), Onisciência (I Coríntios 2:10,11) e Onipresença (Salmos 139:7-10).

Apesar de serem o mesmo Deus, as três pessoas da Divindade são distintas. A Bíblia deixa bem clara essa distinção. Em Mateus 3:16,17, quando Jesus é batizado, o Espírito Santo desce sobre Ele como uma pomba e, ao mesmo tempo, o Pai fala dos céus. E em outras passagens Jesus se refere ao Pai e ao Espírito como pessoas diferentes de si mesmo (João 14-17). Isso mostra que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são pessoas diferentes.

À luz da doutrina da Trindade passagens antes obscuras são claramente compreendidas. Em Gênesis 1:26, por exemplo, ao decidir criar o homem, Deus diz: "Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança...". Deus fala com outras pessoas na 1ª pessoa do plural, o que indica que essas outras pessoas também participariam da criação do homem. Essa passagem só tem uma explicação com a doutrina da Trindade. Levando-se em consideração a verdade bíblica de que só Deus criou o homem, temos que concluir, logicamente, que essas outras pessoas participantes da criação do homem também são Deus. Da mesma forma, alguns termos bíblicos só podem ser entendidos com a doutrina da Trindade. O nome "Deus" no idioma original, o hebraico, é Elohim. Elohim é uma palavra plural e não concorda com os verbos no singular utilizados para com ela. Apesar da forma plural, Elohim (Deus) é apresentado como um único Deus. Esse fato só pode ser explicado com a doutrina da Trindade.

Assim, a doutrina da Trindade é explanada em toda a Bíblia, direta e indiretamente, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, de modo a não deixar dúvidas. Só há um Deus, composto por três pessoas distintas, mas unidas na mesma essência divina.

Apesar de ser uma doutrina bíblica, a Trindade Divina é negada por muitos grupos que se dizem cristãos. Alguns negam a unidade da Trindade, afirmando que cada pessoa divina é um deus diferente, e não um único Deus. Outros, negam a tri-personalidade de Deus, afirmando que as três pessoas divinas são apenas três modos de parecer do mesmo Deus, três pseudônimos de uma mesma pessoa. Outros, ainda, negam a divindade de Jesus e do Espírito Santo, afirmando que só o Pai é o Deus verdadeiro, sendo o Filho e o Espírito criaturas subordinadas a Ele. Porém, todas essas posições são distorções da Palavra de Deus e devem ser rejeitadas por todos aqueles que se professam cristãos ou que desejam a salvação.

Comentários

8 comentários em "A Trindade Divina"

Jane disse...
27 de jan de 2010 15:07:00

Amei esta exposição, me ajudou muito a compreender a Trindade.
Deus abençoe a cada dia o ministério de vocês!

" João 3: 16 e 1ªJoão 3: 16" disse...
23 de mai de 2010 17:17:00

Esta exposição esta exelente pois exclarece, tudo que precisamos saber sobre o poder único da presença de Deus em nós e fala sobre a verdade da existencia da trindade que concordam no céu e na terra e apesar dos seres humanos de hoje, glórias a Jesus Cristo, por nossos ministérios.
É esta exposição me ajudou e abençõou bastante dentro dos propositos divinos.


Obs... Meu email mudou para: souza_jvs@hotmail.com

silas disse...
6 de jul de 2010 16:04:00

se compreendi! logicamente entendo que há uma Triunidade Santissíma em que são três pessoas iguais e não distintas(diferentes)e são Deus, não sendo deuses, mas Deus,
não existe uma hierarquia entre a Santissíma Trindade ou seja, o Filho sujeito ao Pai e nem o Espirito Santo, seria reconhecer que existe uma Superior(Ser Supremo)sendo que a Bíblia fala que o Pai eo Filho são um, e ainda fala que o Espirito Santo é Deus e não se resume a somente uma forca ou poder, nengando a Natureza Do Espírito Santo,
se nós observarmos um triângulo perfeito, se mudar-mos a posicão ele vai deixar de ser triângulo, não, seria algo aproximado a minha compreênsão.

antoniolaio disse...
29 de jul de 2010 21:32:00

SOBRE A TRINDADE:
A partir da situação presente, no círculo da eternidade, olhando para trás, para o passado sem fim, podemos descobrir apenas uma inevitabilidade inelutável nos assuntos do universo, e esta é a trindade do Paraíso. Considero que a trindade tenha sido inevitável. Do modo como vejo o passado, o presente e o futuro dos tempos, eu considero que nada mais, em todo o universo dos universos, tenha sido assim inevitável. O universo-mestre atual, quando visto em retrospectiva, ou em prospectiva, torna-se inconcebível sem a trindade. Com a trindade do Paraíso, nós podemos postular caminhos alternativos, ou mesmo múltiplos, de fazer todas as coisas, ao passo que sem a trindade de Pai, Filho e Espírito, tornamo-nos incapazes de conceber como o Infinito poderia realizar uma personalização tríplice e coordenada, mantendo a unicidade absoluta da Deidade. Nenhum outro conceito de criação alcança padrões de completitude e de absolutez como os da trindade, inerentes à unicidade da Deidade e aliados à plenitude de liberação volitiva inerente à personalização tríplice da Deidade

Lalá disse...
21 de jan de 2012 17:51:00

O texto esta bom, apenas o fato de um erro no vs inicial de I Jo 5.7, este texto não está no original, e foi acrescentado depois. Não é aceito pela maior parte dos estudiosos, portanto não pode ser usado para provar trindade.

Deus os abençoe

Misael Silva disse...
1 de dez de 2013 02:08:00

Ficou uma dúvida. Não faço parte de nenhuma organização nem de nenhuma religião, mas é óbvio que eu pretendo. (Só explicando)
A minha dúvida é: Se existe um Deus formado por três pessoas (Deus Pai, Deus Filho e o Espírito Santo) qual é o Nome desse Deus?
Nota: Eu acho que não pode ser Jeová porque Ele é o "Deus Pai", não é assim? Se não for me explique!

André Aloísio disse...
18 de dez de 2014 18:10:00

Lalá, você tem razão. Na minha monografia sobre a Trindade imanente, eu reconheço que o texto de 1Jo 5.7 não é original: http://teologia-vida.blogspot.com.br/2014/12/a-trindade-imanente-unidade-de-essencia.html

André Aloísio disse...
18 de dez de 2014 18:12:00

Misael Silva, o nome desse Deus é YHWH mesmo, pois esse é o nome de Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, e não da pessoa do Pai apenas. O nome desse Deus também é Pai, Filho e Espírito Santo, conforme é revelado por Jesus no NT (MT 28.19).

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Vinícius M. Pimentel