sábado, 25 de novembro de 2006

O Sacerdócio Universal- Meditação sobre o capítulo 8 de Levíticos

6 comentários

Esta Meditação do Domingo foi ministrada por André Aloísio no dia 18 de junho de 2006, na abertura da Escola Bíblica, na Igreja do Evangelho Quadrangular do Jardim dos Oliveiras, Campinas-SP.

Nossa meditação deste domingo está baseada no capítulo 8 de Levíticos. Desejo ler com os irmãos apenas o versículo 30, mas peço a vocês que leiam todo o capítulo em casa: “Tomou Moisés também do óleo da unção e do sangue que estava sobre o altar e o aspergiu sobre Arão e as suas vestes, bem como sobre os filhos de Arão e as suas vestes; e consagrou a Arão, e as suas vestes, e a seus filhos, e as vestes de seus filhos”.

O capítulo 8 de Levíticos trata da consagração de Arão e seus filhos para o sacerdócio levítico. No versículo que lemos Moisés tomou o óleo da unção e o sangue de um carneiro sacrificado sobre o altar e o aspergiu sobre Arão e seus filhos, para consagrá-los como sacerdotes a Deus. Esse é o versículo chave do capítulo. Baseado nesta leitura gostaria de falar rapidamente sobre o sacerdócio universal dos crentes, uma doutrina de extrema importância que foi resgatada pela Reforma Protestante no século XVI.

Antes disso, porém, devemos entender a função de um sacerdote na Bíblia. O sacerdote no Antigo Testamento era um descendente de Arão, por sua vez descendente de Levi (daí o nome levita). Assim como o profeta é um representante de Deus para os homens, o sacerdote era um representante dos homens para Deus. O sacerdote funcionava como mediador entre Deus e os homens, tendo responsabilidades e privilégios. Sua principal responsabilidade era o oferecimento dos sacrifícios a Deus em favor dos homens e seu principal privilégio o acesso à presença de Deus, no tabernáculo e, posteriormente, no templo. Porém, dentre todos os sacerdotes, apenas um, o sumo sacerdote, tinha o privilégio de entrar uma vez por ano no Santo dos Santos, um lugar especial do tabernáculo separado do Santo lugar por um véu, onde se encontrava a Arca da Aliança e a presença de Deus.

Com a Nova Aliança tudo muda. Cristo vem ao mundo e, sendo o verdadeiro sumo sacerdote, se oferece na cruz de uma vez por todas como sacrifício perfeito pelos pecados de muitos. (Hb.9:26-28). Lemos nos evangelhos que neste momento, “o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo” (Mt. 27:51). O véu representava aquilo que impedia o homem de se achegar diretamente à presença de Deus, e ele havia sido removido! Cristo, como sumo sacerdote, passa a ser o único mediador entre Deus e os homens e por meio dEle todos os crentes têm pleno acesso à presença de Deus.

Agora, todo crente em Jesus é consagrado como sacerdote a Deus, pelo sangue de Jesus e com a unção do Espírito Santo: “Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra” (Ap.5:9,10), “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (I Pe.2:9).

Como sacerdotes, todos os crentes têm a responsabilidade de oferecer “a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome” (Hb.13:15) e o privilégio de penetrar no verdadeiro Santo dos Santos, que se encontra no céu, como lemos na Carta aos Hebreus: “Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura” (Hb.10:19-22).

Irmãos, hoje podemos nos aproximar de Deus em oração e adoração sem a necessidade de intermediários, pois há apenas um Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus. Podemos nos aproximar das Escrituras, em humildade e submissão ao Espírito Santo, e entender o seu verdadeiro significado. Teu pastor, professor, líder ou ministro de louvor não é absolutamente necessário para que você mantenha comunhão com Deus e ouça Sua voz nas Escrituras, pois cada um de nós é um sacerdote consagrado a Deus, com privilégios e responsabilidades. Essa é a doutrina do sacerdócio universal, recuperada pelos nossos antepassados e que faremos bem em crer e praticar.

Que Deus abençoe vocês!
 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo