terça-feira, 20 de junho de 2006

A Santificação (Parte 1)

Comente Aqui

Parte: [1] [2] [3] [4]

O que é santificação?

“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito” (2 Co 3:18)

Podemos dizer que a santificação é o processo pelo qual o cristão torna-se cada vez mais parecido com Cristo. Consiste em, constantemente, abandonar o pecado e procurar viver de acordo com os mandamentos de Deus. Uma das palavras usadas no NT para santificação é hagiadzo (Jo 10:36), que significa separação. Assim, podemos dizer também que santificação é separar-se do pecado, dedicando-se a Deus, mediante a operação do Espírito Santo.

Todos os cristãos passam por esse processo, de modo que, tão logo alguém é justificado, começa também a se santificar. O justificado necessariamente está se santificando.

E também devemos dizer que apenas os cristãos conhecem esse processo. Incrédulos não querem e nem podem se santificar. Não querem, pois tem prazer no pecado e não desejam se separar dele; e não podem porque não contam com o agir poderoso do Espírito dentro de si.

Tendo procurado definir o que é santificação, passemos agora para o que não é santificação. A mente carnal sempre confunde as coisas, distorcendo a verdade de Deus, o que não é diferente com este assunto.

Primeiramente, devemos dizer que a santificação não é apenas uma “moralização”, ou uma apreensão de valores éticos e de bom comportamento. É claro que a moral está inclusa, mas não é apenas isso. E digo mais: qualquer tentativa de santidade que não vise à glória de Deus e não seja motivada por amor a Ele, é maldita, sendo terrivelmente pecaminosa e inaceitável aos olhos do Senhor.

Também não devemos confundir santificação com professar alguma religião. Há muitas religiões no mundo, cada uma delas com seus variados ensinos e doutrinas, e é impossível ao homem que segue uma religião falsa conhecer algo da santificação verdadeira. E mesmo entre os que professam seguir a santa religião, a saber, o Cristianismo, há muitos hipócritas e mentirosos, muitas pessoas que se misturam no meio do povo de Deus, porém não fazem parte desse povo. Estão na igreja apenas porque se sentem bem, ou porque apreenderam apenas mentalmente as verdades cristãs, ou encontram lá um ambiente gostoso que ajuda a esquecer os problemas da vida.

Muito menos devemos achar que santificação é um isolamento do mundo, como fazem aqueles que se enclausuram em um mosteiro, passando a vida em atividades religiosas e com mínimo contato com outras pessoas. O pecado não está “fora”, ele está dentro do ser humano, o próprio coração humano é naturalmente mal. Ainda que alguém se esconda de tudo e de todos, a natureza pecaminosa certamente se manifestará, de um modo ou de outro. A ilusão dos monges é não compreender isso. A verdadeira santificação é aquela em que, mesmo estando no mundo, o cristão não se corrompe com o mundo, mas resplandece como o sol em meio a um sistema tenebroso.

Tornamos a dizer: somente o cristão experimenta a santificação. Entraremos em maiores detalhes sobre isso nos próximos tópicos deste estudo. Não deixe de acompanhar! Que Deus te abençoe!

Comentários

Nenhum comentário em "A Santificação (Parte 1)"

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo