terça-feira, 6 de junho de 2006

Entendendo a Justificação pela Fé (Parte 1)

3 comentários

“Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo...”
(Romanos 5:1 ARA).

A justificação pela fé é uma doutrina ensinada por toda a Escritura, mais claramente demonstrada pelo apóstolo Paulo em suas epístolas. Os reformadores (nossos pais na fé) acreditavam que a justificação pela fé era o núcleo do evangelho, a doutrina em torno da qual estavam todas as demais. De fato, não há como diminuir o valor e importância da justificação na vida do cristão.

No entanto, poucos cristãos em nossos dias conhecem realmente o significado desta gloriosa doutrina. Poucos pregadores a mencionam. Fala-se muito em perdão de pecados, mas muito pouco sobre imputação de justiça. Creio que se perguntasse a um dos meus irmãos em Cristo que me lêem neste momento sobre se foram justificados pela fé, quase todos, provavelmente, responderão que sim. Mas se perguntasse qual o significado de estar justificado ou sobre como essa verdade tem influenciado a vida dos irmãos, muitos vacilariam em responder.

Portanto, meu propósito com este rápido estudo é tornar mais claro o significado da justificação pela fé, apresentando o que a Bíblia ensina sobre o assunto, e como essa verdade se torna prática em nossas vidas quando obtemos um conhecimento exato dela. Para facilitar resolvi dividir este estudo em partes. Nesta primeira estarei tratando sobre a lei de Deus e o pecado, temas fundamentais para a correta compreensão da justificação.

Que Deus nos ilumine a mente e nos guie durante este estudo, levando-nos a conhecer as profundezas de Sua Palavra!

A Lei de Deus e o Pecado

A lei de Deus está revelada na Bíblia. Ela representa a vontade de Deus para todos os homens. Encontramos um resumo da lei nos Dez Mandamentos, que por sua vez podem ser resumidos no Grande Mandamento dado por Cristo: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo (Mt. 22:34-40).

Diante disso, podemos afirmar que a lei de Deus nunca foi abolida, pelo contrário, continua em pleno vigor nos dias de hoje. Foi Jesus mesmo quem disse: “Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.” (Mt. 5:17 ARA). O que se aboliu foram aspectos cerimoniais da lei (sacrifícios de animais, festas e outros ritos) que tipificavam, no Antigo Testamento, as realidades que só vieram à plena luz no Novo. Porém, a Lei Moral, como se costuma chamar-se, ou os Dez Mandamentos, nunca mudou e nem mudará.

Agora, um ponto de extrema importância é que a lei de Deus exige de nós completa obediência a todos os seus mandamentos: “...dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda...” (Js.1:7 ARA). Tiago afirma: “Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente.” (Tg. 2:10 NVI). Portanto, obedecer à lei de Deus significa obedecê-la por completo.

A total obediência à lei de Deus leva à vida: “Portanto, os meus estatutos e os meus juízos guardareis; cumprindo-os, o homem viverá por eles.” (Lv. 18:5 ARA). Porém, a desobediência de um só mandamento (que é o pecado, a transgressão da lei), ainda que dos menores, gera a morte: “Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas escritas no livro da lei, para praticá-las.” (Gl. 3:10 ARA). “...porque o salário do pecado é a morte...” (Rm. 6:23 ARA). Todo pecado merece seu castigo. Para que a justiça de Deus seja satisfeita, o pecado precisa ser punido.

Mesmo diante de todos esses fatos, como todos sabemos, Adão pecou e não permaneceu no mandamento dado por Deus, o que trouxe conseqüências para toda a humanidade: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” (Rm. 5:12 ARA).

Por isso, todos os seres humanos já nascem com o pecado original dentro de si, merecendo a devida punição: a morte. Somos praticantes por excelência do pecado, sendo, portanto, escravos dele (Jo. 8:34). É impossível a qualquer pessoa obedecer à lei de Deus como é exigido. O fato de Deus exigir do homem algo que ele não pode cumprir não faz de Deus um injusto, pois o homem, no estado em que foi criado, tinha a capacidade de obedecer à lei de Deus, mas por voluntária desobediência decaiu desse estado de liberdade para um estado de escravidão. Por conseqüência, todos estão perdidos, condenados à morte e aumentando sua dívida a cada dia!

É justamente por esse motivo que, apesar de a total obediência à lei conduzir à vida, ninguém pode ser salvo pela lei, pois ninguém pode obedecê-la perfeitamente: "sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei..." (Gálatas 2:16). E Deus não pode simplesmente fechar os olhos para o pecado, fingindo tê-lo esquecido, e perdoar a todos os pecadores, pois isso faria dele um Deus injusto: "O SENHOR é tardio em irar-se, mas grande em poder e jamais inocenta o culpado..." (Naum 1:3a ARA).

Agora podemos enxergar a profundidade do abismo no qual o pecador se encontra: morto em delitos e pecados está debaixo da condenação da lei e da ira de um Deus justo e santo, que não pode abrir exceções à Sua Santa lei de forma a inocentar o culpado. Qual a solução então para o pecador nesse estado? Como pode existir uma salvação para o homem em tal abismo? Não deixe de acompanhar a 2ª parte deste estudo, na qual estarei respondendo a essas perguntas tratando da justiça e do amor de Deus, e da solução encontrada por Deus para resolver esse dilema: a justificação pela fé!

Notas:

ARA: Almeida Revista e Atualizada
NVI: Nova Versão Internacional

Comentários

3 comentários em "Entendendo a Justificação pela Fé (Parte 1)"

Anônimo disse...
3 de março de 2008 18:58

fiquei muito satisfeito com a primeira parte do estudo,mas não concigo ter acesso ao restante do estudo.

Ilca disse...
3 de março de 2008 19:05

fiquei muito satisfeito com a primeira parte do estudo,mas não concigo ter acesso ao restante do estudo.
ilkatere@hotmail.com

André Aloísio disse...
8 de março de 2008 18:21

Olá meu irmão Ilca, a paz seja contigo!

Você comentou que não conseguiu acessar as outras partes do estudo Entendendo a Justificação pela Fé. Eu peço mil desculpas, mas este estudo, que eu iniciei, infelizmente não consegui terminar, e acabei fazendo apenas a primeira parte mesmo. Tenho a intenção de continuá-lo e terminá-lo, mas falta-me o tempo necessário, devido ao trabalho, faculdade, inglês e os meus ministérios na igreja. No entanto, farei um esforço e assim que possível continuarei este estudo tão importante para nossa fé. Enquanto isso, o irmão pode ver um esboço deste mesmo estudo que eu ministrei em minha igreja, acessando http://teologia-vida.blogspot.com/2007/10/entendendo-justificao-pela-f.html

Que Deus te abençoe grandemente!

 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo