quarta-feira, 29 de março de 2017

Exposição do Salmo 10: Mesmo quando não pareça, Deus se importa com as injustiças que o pobre sofre do ímpio

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 26/03/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Exposição do Salmo 9: Os juízos temporais e o juízo final devem nos levar ao louvor e à súplica

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 19/03/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

Exposição do Salmo 8: A majestade de Deus exposta nos céus é exposta na terra de modo superior

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 12/03/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Exposição do Salmo 7: Deus inocentará o caluniado inocente e condenará o caluniador culpado

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 05/03/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Exposição do Salmo 6: Nos momentos de aflição, devemos recorrer a Deus em oração

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 26/02/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Exposição do Salmo 5: Existe uma clara diferença entre o justo e o ímpio

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 19/02/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

Exposição do Salmo 4: Enfrentamos as perseguições com oração, testemunho e uma alegre confiança em Deus

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 12/02/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Exposição do Salmo 3: Deus nos traz proteção e salvação contra os nossos muitos inimigos

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 05/02/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Exposição do Salmo 2: Deus reina sobre o mundo todo por meio do Seu Ungido

Comente Aqui

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 15/01/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

Exposição do Salmo 1: A verdadeira felicidade é alcançada por meio da santidade

Comente Aqui


Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 08/01/2017.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A Origem de Tudo: Uma Exposição de Gênesis

1 Comentário

Sermões pregados por mim no Livro de Gênesis, na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI. Alguns desses sermões foram grandemente influenciados pelo livro Pregando Cristo a partir de Gênesis (Sidney Greidanus).

1. Gn 1.1-2.3: Deus é o Rei do Universo (03/05/2015) - Indisponível
2. Gn 2.4-3.24: Apesar do julgamento de Deus, há esperança de retorno ao Paraíso (10/05/2015)
3. Gn 4: Deus é fiel para dar continuidade à linhagem da semente da mulher até Cristo alcançar a vitória final (17/05/2015)
4. Gn 5.1-6.8: Somente Deus é capaz de resolver o problema do pecado por meio de julgamento e salvação (24/05/2015)
5. Gn 6.9-9.17: Deus faz um novo começo para continuar o Seu reino sobre a terra (31/05/2015)
6. Gn 9.18-29: Deus dará vitória à semente da mulher contra a semente da serpente (07/06/2015)
7. Gn 10: O Deus soberano tem um interesse especial em todas as nações (14/06/2015)
8. Gn 11.1-9: O Deus soberano pode destruir os reinos do mundo para restaurar o Seu reino na terra (21/06/2015)
9. Gn 11.10-26: Apesar do Seu julgamento, Deus preserva a semente da mulher para trazer bênção a todas as nações (28/06/2015)
10. Gn 11.27-12.9: O Senhor dá o mundo ao Seu povo para reivindicá-lo para o reino de Deus (05/07/2015)
11. Gn 12.10-20: A libertação do povo de Deus da escravidão do pecado é uma bênção (12/07/2015)
12. Gn 13: As promessas de Deus são para aqueles que vivem pela fé e não pela visão (19/07/2015)
13. Gn 14: Deus é o Rei Supremo que dá tudo ao Seu povo (26/07/2015)
14. Gn 15: Tão certo como Deus nos deu Cristo, Ele nos dará novos céus e nova terra (02/08/2015)
15. Gn 16: Deus ouve e vê as aflições do Seu povo (09/08/2015)
16. Gn 17: O Deus Todo-Poderoso estabeleceu um sinal de inclusão na Sua aliança (16/08/2015)
17. Gn 18: O Deus Triuno se revela como fiel em Suas promessas e justo em Seus juízos (23/08/2015)
18. Gn 19: A forma como recebemos a Deus define nosso destino no dia do juízo (30/08/2015)
19. Gn 20: Mesmo quando somos infiéis, Deus permanece fiel (06/09/2015)
20. Gn 21.1-7: A fidelidade do Senhor ao cumprir a Sua promessa de chamar miraculosamente à existência o Seu povo deve nos encher de alegria (13/09/2015)
21. Gn 21.8-21: Ainda que os descrentes também recebam bênçãos de Deus, apenas os filhos de Deus são herdeiros da promessa de salvação (20/09/2015)
22. Gn 21.22-34: Certamente o povo de Deus habitará na nova terra para todo o sempre (27/09/2015)
23. Gn 22.1-19: O Senhor provê um cordeiro como sacrifício para que o Seu povo possa viver (04/10/2015)
24. Gn 22.20-24: Deus, em Sua providência, prepara tudo o que é necessário para a preservação do Seu povo (11/10/2015) - Incompleto
25. Gn 23: Ainda que Deus já tenha começado a cumprir Sua promessa, a posse completa da nova terra ainda é futura (18/10/2015) - Incompleto
26. Gn 24: O Senhor dá continuidade ao Seu povo providenciando os futuros cônjuges para Seus servos (25/10/2015)
27. Gn 25.1-11: Os filhos da promessa, e não os filhos da carne, são o verdadeiro povo de Deus (01/11/2015)
28. Gn 25.12-18: Deus também é fiel às Suas promessas em relação ao futuro do ímpio (06/12/2015)
29. Gn 25.19-34: Deus soberana e graciosamente escolhe os menores para que sejam o Seu povo vitorioso (13/12/2015)
30. Gn 26.1-33: Deus nos abençoa com Sua presença como abençoou Abraão (03/01/2016)
31. Gn 27.1-45: Deus pode usar até o pecado para realizar o Seu plano de abençoar o Seu povo (10/01/2016)
32. Gn 26.34,35; 27.46-28.9: Quem é do povo de Deus deve se casar com quem também é do povo de Deus (17/01/2016)
33. Gn 28.10-22: O Senhor está sempre conosco (24/01/2016)
34. Gn 29: Somente Deus por meio de Cristo pode satisfazer nosso anseio por um amor verdadeiro (14/02/2016) - Indisponível
35. Gn 30.1-24: Deus cumpre Suas promessas de forma misteriosa (21/02/2016) - Indisponível
36. Gn 30.25-43: Deus cumpre Suas promessas ao Seu povo, apesar de toda oposição do Inimigo (28/02/2016)
37. Gn 31: O Senhor libertou o Seu povo da escravidão (06/03/2016)
38. Gn 32.1-21: A humildade é a principal característica daquele que está sendo transformado por Deus (13/03/2016)
39. Gn 32.22-32: Pessoas autossuficientes precisam ser mudadas em pessoas que dependem de Deus para que possam entrar no reino de Deus (20/03/2016) - Indisponível
40. Gn 33.1-17: Pessoas reconciliadas com Deus se reconciliam com seus inimigos, mas não com o mundo (27/03/2016) - Indisponível
41. Gn 33.18-34.31: O pecado deve receber uma punição apropriada (03/04/2016) - Indisponível
42. Gn 35.1-15: As promessas de Deus são para aqueles que servem ao verdadeiro Deus da forma como Deus deseja (10/04/2016) - Indisponível
43. Gn 35.16-29: O Rei supremo da Igreja e do mundo é o Leão da Tribo de Judá (17/04/2016)
44. Gn 36.1-37.1: O povo de Deus está separado do povo de Satanás e terá vitória sobre ele (25/09/2016)
45. Gn 37.2-36: Deus pode usar até o pecado da traição para cumprir Seu plano de salvação (02/10/2016)
46. Gn 38: Ainda que o pecado leve ao juízo, a graça de Deus triunfa sobre o pecado e suas consequências (09/10/2016)
47. Gn 39: O Senhor está conosco tanto na prosperidade quanto na adversidade ( 17/10/2016)
48. Gn 40: Deus cumpre o Seu propósito no Seu próprio tempo (23/10/2016)
49. Gn 41: Deus exaltou soberanamente o Seu servo sofredor como Rei para salvar o mundo da morte (30/10/2016)
50. Gn 42: Deus disciplina o Seu povo para salvá-lo (20/11/2016)
51. Gn 43-45: Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus (04/12/2016)
52. Gn 46-47: Deus está conosco em qualquer lugar e situação (11/12/2016)
53. Gn 48: Deus escolhe os desprezados para que sejam os preferidos (18/12/2016)
54. Gn 49.1-28: Deus é o Senhor do nosso futuro (25/12/2016)
55. Gn 49.29-50.26: O fim é apenas o começo (01/01/2017)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O Natal e os dias para ações de graças

Comente Aqui

Alguém me perguntou se não seria correto separar um dia de ações de graças pelo nascimento de Jesus. Como minha resposta pode ser de interesse para outras pessoas, decidi publicá-la aqui:

Sobre as ações de graças, elas são mencionadas na Confissão de Fé de Westminster 21.5. O que isso significa? O Diretório de Culto de Westminster explica: “Na Bíblia não há nenhum Dia que seja ordenado para ser guardado como santo sob o Evangelho, senão o Dia do Senhor, que é o Sábado Cristão. Os dias de festa, comumente chamados de dias Santos, não tendo base na Palavra de Deus, não devem ser continuados. Contudo, é lícito e necessário, quando surgem ocasiões, separar um dia ou dias para Jejum Público ou Ações de Graças, à medida que as várias dispensações importantes e extraordinárias da providência de Deus ministrarem um motivo e oportunidade a seu povo” (Diretório de Culto de Westminster, p.66).

Ou seja, as ações de graças são dias separados para agradecermos por alguma coisa. Que coisa? Não poderíamos separar um dia para agradecermos pelo nascimento de Cristo? Não, isso não faria sentido, porque já temos 52 dias separados no ano para isso, todos os domingos do ano. Os dias de ações de graças são separados para agradecermos por alguma coisa que não agradecemos no culto comum a Deus, no dia do Senhor. Veja que o Diretório explica que esses dias para ações de graças são separados "à medida que as várias dispensações importantes e extraordinárias da providência de Deus ministrarem um motivo e oportunidade a seu povo". Os dias de ações de graças são separados para agradecer por coisas que Deus tem feito por Seu povo no decorrer da história, como Reforma Protestante, organização de uma igreja local e assim por diante. Não faz sentido ter um dia de ações de graças pelo nascimento de Jesus, se isso já é celebrado no culto dominical.

Se eu tivesse que separar um dia de ações de graças para celebrar a encarnação e o nascimento de Jesus, logo eu perceberia que seria incoerente separar um dia apenas para esse estágio da obra de Cristo. Então, eu iria querer separar um dia para cada estágio da obra de Cristo: um dia para a encarnação e o nascimento ("Natal"), um dia para a circuncisão, um dia para o batismo, quarenta dias para a tentação no deserto ("Quaresma"), uma semana para a paixão ("Semana Santa"), um dia para a entrada em Jerusalém ("Domingo de Ramos"), um dia para a morte ("Sexta-feira Santa"), um dia para o sepultamento ("Sábado de Aleluia"), um dia para a ressurreição ("Páscoa"), um dia para o Pentecostes, e sabe-se lá o que mais. Quando eu menos esperasse, já estaria com um calendário litúrgico completo, que não conta com o mínimo amparo do Novo Testamento, uma vez que não há nenhum mandamento, exemplo ou inferência que me leve a separar todos esses dias para comemorar as diferentes fases e diferentes estágios da obra de Cristo. Seria mais simples e bíblico celebrar a obra redentora completa de Cristo em todos os domingos, enfatizando em cada domingo o estágio que seja mais enfatizado na passagem da Escritura que será exposta naquele domingo, dentro da série de exposições que esteja sendo realizada.

Minha posição sobre o Natal

Comente Aqui

Não sou contra:

1) A encarnação e o nascimento de Jesus. Ambos são estágios importantíssimos no estado de humilhação de Cristo.

2) A celebração da encarnação e do nascimento de Jesus. Toda a obra redentora de Cristo deve ser celebrada no culto, inclusive a encarnação e o nascimento, sem os quais a morte e a ressurreição não seriam possíveis.

3) Músicas e hinos que falam da encarnação e do nascimento de Jesus. Se podemos cantar no culto, além dos salmos, outros cânticos inspirados do Novo Testamento e outros cânticos não inspirados com fundamento bíblico, é claro que podemos cantar sobre a encarnação e o nascimento do Salvador.

4) Pregações sobre a encarnação e o nascimento de Jesus. Se a Bíblia fala da encarnação e do nascimento de Jesus, e se é dever do pregador anunciar todo o conselho de Deus, é óbvio que se deve pregar sobre essas fases da vida de Cristo.

Sou contra:

1) Uma festa específica (o Natal) para celebrar a encarnação e o nascimento de Jesus. Há apenas uma festa religiosa instituída sob o Novo Testamento: a Ceia do Senhor, que celebra a morte de Cristo. Ainda que toda a vida e a obra de Cristo tenham uma importância fundamental, certamente a cruz de Cristo é o cerne do evangelho.

2) Um dia específico (o dia de Natal) para celebrar a encarnação e o nascimento de Jesus. Há apenas um dia religioso instituído sob o Novo Testamento: o Dia do Senhor ou Domingo, dia da ressurreição de Jesus, onde celebramos toda a obra redentora de Cristo, inclusive Sua encarnação, nascimento, vida, morte, ressurreição, ascensão, sessão, derramamento do Espírito e segunda vinda.

3) Um calendário litúrgico com Advento, Natal, Quaresma, Páscoa, Pentecostes, Tempo Comum, etc., que não tem amparo no Novo Testamento. Se o calendário litúrgico do Antigo Testamento foi estabelecido pelo próprio Deus, incluindo todas as festas religiosas e dias santos, que autoridade teria eu, no Novo Testamento, de inventar meu próprio calendário litúrgico? O calendário litúrgico do Novo Testamento são os 52 domingos do ano.

Portanto:

1) Eu não separo um dia específico no ano para celebrar uma parte da obra redentora de Jesus (a encarnação e o nascimento), pois já tenho 52 domingos no ano para celebrar toda a obra redentora de Cristo, inclusive a encarnação e o nascimento.

2) Eu não separo um dia específico do ano para cantar sobre a encarnação e o nascimento de Jesus, pois eu posso fazer isso em 52 domingos do ano.

3) Eu não separo um dia específico do ano para pregar sobre a encarnação e o nascimento de Jesus, pois eu posso fazer isso em 52 domingos do ano. Quem prega expositivamente e sequencialmente pregará com alguma frequência sobre esses temas, sem necessidade de separar um dia (Natal) ou um mês (Advento) para isso. Eu pregaria sobre a encarnação e o nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro se esses fossem temas que estivessem na sequência das exposições bíblicas. Mas não deixaria a sequência das exposições para pregar sobre a encarnação e o nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Exposição de Atos 16.25-34: Deus tem um interesse especial em salvar famílias

1 Comentário

Sermão pregado por mim na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI, no Dia do Senhor de 06/11/2016.

Para baixar este sermão em áudio, clique aqui.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

A Igreja como Organização: Uma Exposição de 1 Timóteo

Comente Aqui

Sermões pregados por mim na Primeira Carta de Paulo a Timóteo, na Congregação Presbiteriana em José de Freitas-PI.

1. 1Tm 1.1,2: A Igreja é uma organização e um organismo (01/05/2016)
2. 1Tm 1.3-7: O verdadeiro ensino, ao contrário do falso, é proveitoso (08/05/2016) - Indisponível
3. 1Tm 1.8-11: A lei está em harmonia com o evangelho (15/05/2016)
4. 1Tm 1.12-17: Onde abundou o pecado, superabundou a graça (22/05/2016)
5. 1Tm 1.18-20: Nós devemos combater o bom combate (29/05/2016)
6. 1Tm 2.1-7: Nós devemos orar por todas as classes de pessoas no culto público (05/06/2016)
7. 1Tm 2.8-15: Homens e mulheres devem ter atitudes apropriadas no culto público (12/06/2016) - Indisponível
8. 1Tm 3.1-7: O presbítero deve cumprir certos requisitos para ocupar o ofício (19/06/2016) - Indisponível
9. 1Tm 3.8-13: O diácono deve cumprir certos requisitos para ocupar o ofício (26/06/2016)
10. 1Tm 3.14-16: A Igreja é uma organização importantíssima (03/07/2016) - Indisponível
11. 1Tm 4.1-5: Cinco questões sobre a apostasia (10/07/2016) - Indisponível
12. 1Tm 4.6-11: O ministro do evangelho deve ter a disciplina de um atleta (17/07/2016)
13. 1Tm 4.12-16: O ministro do evangelho deve exercer seu ministério com dedicação (24/07/2016)
14. 1Tm 5.1,2: O ministro do evangelho deve exortar os membros da Igreja como se exortasse os membros da sua família (31/07/2016)
15. 1Tm 5.3-16: A Igreja deve sustentar as viúvas de acordo com determinadas regras (14/08/2016)
16. 1Tm 5.17-25: Diretrizes a respeito dos presbíteros (21/08/2016)
17. 1Tm 6.1,2: O empregado deve respeitar o empregador (28/08/2016)
18. 1Tm 6.3-10: Os falsos mestres são conhecidos pelas especulações inúteis e pelo amor ao dinheiro (04/09/2016)
19. 1Tm 6.11-16: O homem de Deus deve viver de modo diferente dos falsos mestres (11/09/2016)
20. 1Tm 6.17-21: O cristão deve agir corretamente em relação às riquezas materiais e espirituais (18/09/2016)
 

Teologia e Vida © Revolution Two Church theme by Brian Gardner
Converted into Blogger Template by Bloganol and modified by Filipe Melo